Crítica: Arrow - O que está acontecendo?


Arrow foi quem começou essa retomada das séries de super-heróis. Veio com uma proposta mais adulta e com um visual sério, herança que a trilogia do Batman do Chistopher Nolan deixou nos cinemas. Tendo duas ótimas temporadas no começo, Arrow mostrou que os heróis poderiam fazer sucesso não só no cinema, mas também na TV. Aos poucos, a série começou a tomar um caminho diferente do que tinha sido a proposta original, o que, se você para pensar, não é tão ruim, pois a série estava tentando se renovar e não cair na mesmice. Então o que deu errado?

A partir do final da segunda temporada e começo da terceira, os produtores da série perceberam como Felicity Smoak era popular com grande parte dos fãs - e não é para menos, pois a personagem é o carisma em pessoa - então decidiram fazer dela o par romântico do Oliver Queen. Mas parece que, de alguma maneira, os escritores perderam a mão e começaram a focar mais nisso no que na história da série.

Mas vocês devem estar pensando: “a série não fica tanto tempo assim mostrando só os dois”. Isso realmente é verdade, a história entre o Oliver e Felicity não ocupa tanto tempo de episódio, mas dá para se notar a diferença no cuidado em que as cenas do casal é feita para o resto do episódio. Eu gosto de ver a interação dos dois. E um dos poucos momentos que vejo o Stephen Amell expressando algum tipo de emoção é quando está contracenando com a Emily Bett. Por mais que eu goste dele no papel do Oliver, admito que ele é um ator bem limitado. Ainda assim, admiro o fato dele praticar arco e flecha só para as cenas ficarem mais reais e, sinceramente, ele é o único que parece saber usar a própria arma.

Por mais que a história da quarta temporada tenha potencial, ainda mais com as participações especias de John Constantine e Vixen, a cada episódio que passa, eu vejo mais gente falando em desistir da série do que começar ou continuar. Lembrando que estou resumindo isso ao grupo de pessoas com quem eu converso.

Então a culpa é da Felicity? Longe disso. A Emily está fazendo um bom trabalho com a personagem. Acho injusto quem coloca culpa nela pelos rumos que a série tem tomado. Eu diria que a culpa é mais dos produtores que não sabem aproveitar melhor essa relação. Outra coisa que também está atrapalhando a série é a decisão da DC de não misturar seu universo dos seriados com o do cinema. No começo, isso parecia uma boa ideia, sem contar que ela estava fazendo algo diferente da Marvel que, por melhor que seja o formato, é sempre bom ter diversidade.

Eu pensava assim: “são dois universos, então vai ter mais coisas para acompanhar e uma história não vai prender a outra”, porém esse foi meu pensamento otimista e inocente e, infelizmente, um universo começou, sim, a afetar o outro. Vários personagens começaram a não aparecer no seriado ou até mesmo a morrer. Será que a DC/Warner acredita que o publico é tão burro que não consegue separar os dois universos? E até agora foi com personagens secundários e vilões, mas o que será que vai acontecer com o seriado do Flash quando o filme for lançado com o Erza Miller fazendo o papel de Barry Allen? O quanto isso irá afetar o seriado do Flash?

E, por último, o que aconteceu com as coreografias de luta? Onde tem um monte de gente lutando e você não consegue acreditar que um golpe daqueles está machucando alguém e muitas vezes nem vemos o golpe acertar. Os dublês ficam esperando os outros darem os socos. Sem contar quando o “Team Arrow” dá aqueles saltos ridículos juntos que mais parece um episódio de power rangers e coisas do tipo. Um seriado de ação e super-heróis deve receber um cuidado especial. Quem está assistindo quer ver algo bem feito.

Como a série foi renovada para uma próxima temporada, nos resta torcer para que a produção do Arrow resolva se sentar para discutir os problemas que a série enfrenta, procurar melhorar os seus pontos fracos e criar alternativas novas para séries com histórias e vilões e se desprender das HQs de vez. Quem sabe um conteúdo inédito não seja o que a série precise para se reinventar e voltar a ser uma das grandes séries de heróis. Eu torço por isso porque ainda quero continuar acompanhando Arrow por muitos anos. E vocês, o que acham? A série desse jeito está agradando vocês? O que poderia ser feito para melhorar? Não se esqueçam de deixar suas opiniões nos comentários. Valeu!
Tecnologia do Blogger.