Penny Dreadful - A Blade of Grass


O que dizer do quarto episódio de Penny Dreadful que conheço há tão pouco tempo e já o meu favorito até esse momento? “A Blade of Grass” foi diferente do que vinha sendo apresentado até agora nessa temporada que normalmente ficava mostrando um pedaço da história que estava acontecendo com cada um. Dessa vez tivemos um episódio inteiro contando como foi o período que Vanessa passou no sanatório ou pelo menos a parte que ela foi cuidada pelo Monstro enquanto ele ainda era humano.



Depois da surpresa no final do terceiro episódio onde vimos que Vanessa tinha como enfermeiro o Monstro enquanto ele ainda era humano, vem o quarto episódio todo dedicado a falar desse período. A maneira como aos poucos ele vai se aproximando dela, primeiro só colocando a comida e saindo, depois vai pedindo por favor para que ela coma. Conforme os tratamentos que Vanessa recebia ficavam mais pesados, o Monstro ficava ainda mais preocupado.



Na primeira vez que mostrou ele como Lúcifer eu fiquei “Ah, não. Não pode ser ele”, mas conforme a trama foi se desenrolando e ele também foi usado para representar o Drácula eu entendi que aquilo era só uma ferramenta de roteiro, já que Vanessa não poderia saber já quem era o Drácula, senão acabaria toda a história com Dr. Sweet, aquele envolvimento ingênuo por parte dela que pelo jeito ainda vai ser bem explorado. Já no caso do Lúcifer, ele pode ter aparecido em espírito ou pode realmente ter possuído o corpo do Monstro, mas colocar os dois com a mesma aparência que ela estava acostumada a ver foi a maneira que ela achou para falar sobre o encontro que teve com os dois.


Sobre esse encontro das trevas, temos que ressaltar duas coisas. A primeira é como o Rory Kinnear é bom ator. Ele interpretou três personagens diferentes de cara limpa, onde a única coisa que tinha para diferenciar fisicamente um personagem do outro era um efeito no olho, mas, com essa ótima atuação dele, mesmo você vendo a mesma pessoa você, conseguia diferenciar quando era o Lúcifer, o Drácula e quando era ele normal. A segunda coisa a se destacar é como a Vanessa botou moral para cima dos dois.

Aquela cena final onde a Eva Green está com a cabeça raspada e o Monstro vem falar com ela dizendo que amanhã seria o último dia de trabalho dele e ele começa a contar sobre a conversa que ele tinha tido com o filho foi muito emocionante. 

Os dois criaram uma forte ligação nesse período, tanto que foi Vanessa que fez com que ele pegasse gosto pela poesia. Só que um pouco depois, os dois perderam essas lembranças por motivos diferentes e, por causa disso, as cenas entre os dois na segunda temporada, em que ele já é o Monstro e eles começam a falar sobre poesia, ficaram ainda mais bonitas.
Tecnologia do Blogger.