Penny Dreadful - Ebb Tide


Na nossa jornada pelas ruas escuras da Inglaterra Vitoriana chegamos ao sétimo episódio de Penny Dreadful, “Ebb Tide”, que foi um dos melhores dessa temporada. Apesar de decisões que muita gente não gostou, o episódio em si teve suas partes mais animadoras, pode-se dizer.


Ebb Tide já começou bem com o reencontro entre Vanessa e o Monstro (não vou chamá-lo pelo nome porque sempre me esqueço). Fiquei surpreso em saber que a Vanessa se recordava dele da clínica. Com as palavras dela incentivando ele a tentar reconquistar sua família novamente, dá para ver que os dois realmente têm carinho um pelo outro. Gosto muito da relação entre esses dois, só tenho medo que mais no futuro da série alguma lembrança do passado estrague essa relação entre eles.


Se tem alguém, fora a Vanessa, que eu queria ver ter momentos de felicidade nessa série, esse alguém era o Monstro, porque sempre que o coitado tenta achar seu lugar no mundo, acaba se dando mal. Vê-lo reencontrando e sendo aceito foi um momento bem emocionante do episódio, espero que ele não perca a família que demorou tanto para reconquistar, só que seria muito bom ver ele fazendo parte do Team Vanessa e interagindo com os outros personagens. Se pegar desde a primeira temporada, sem dúvidas, ele é o que mais tem evoluído.


Depois de quase uma temporada inteira seguindo em direção ao lado negro da força, Ethan parece ter ouvido a voz do Sir Malcolm falando “para as trevas ir você não deve jovem Ethan Skywalk...” e finalmente voltou a ser aquele personagem que os fãs da série gostam. Tenho certeza que muita gente ficou feliz ao ouvi-lo falando sobre a Vanessa, gostei de ver também a gratidão que ele tem pelo Mestre Jedi Sir Malcolm.


A história de Lily certamente é uma das partes mais difíceis de se comentar por causa dos temas abordados. Por um lado, ela tem boas intenções de ajudar as mulheres vítimas de homens violentos, só que tudo que ela passou fez com que ela tomasse uma posição violenta, transformando sua ideologia em um discurso de ódio que só vai gerar mais violência e dificilmente terá um final feliz. Achei muito bonita a cena dela naquele cemitério onde deu a entender que ela foi visitar a sepultura da filha. A Lily começou a ficar malinha depois que adotou aquela garota que disputa com a Hecate qual a personagem mais insuportável da série. Ficou claro que as intenções, tanto do Victor, quanto do Dorian, não eram ajudar a Lily em momento algum. Eles só queriam uma pessoa que fosse subjugada a eles. Ou seja, em resumo, não é amor e sim egoísmo.


Após a visita de Catriona que, infelizmente, foi lá só para falarem sobre o Drácula, Vanessa decide ir até o Senhor dos dentes pontudos para matá-lo, mas acaba se entregando e isso revoltou muita gente que ficou com aquele sentimento de “como assim, Vanessinha?”. Inclusive eu fui um desses, mas depois que acaba o episódio e a gente começa a analisar tudo o que aconteceu, a Catriona falou para Vanessa que essa batalha não seria vencida por uma guerreira e sim por uma espiã. Acredito que se ela tivesse matado ele na forma humana, não seria algo definitivo e ele poderia voltar, e também estamos falando do Drácula e não de qualquer vampiro de cabelo espetado que tem por aí. Se ele fosse derrotado de uma maneira tão simples e fácil seria muito anticlimático. E por mais que as intenções sejam boas, a visão que Kaetany teve nos mostra que esse plano não vai funcionar como ela imagina.


A cada episódio que passa, Penny Dreadful vem se consolidando como uma das melhores séries de Terror e Fantasia. A maneira com que o público discute cada decisão tomada pelos personagens é um exemplo disso. 
Tecnologia do Blogger.