Penny Dreadful - Good and Evil Braided Be


Já teve tanta coisa nessa temporada de Penny Dreadful e ainda estamos apenas no terceiro episódio. Não sei se é porque estou acostumado com essas séries de 20 e poucos episódios que ficam enrolando bastante, mas, pessoalmente, eu prefiro esse formato com menos episódios que tem Penny Dreadful, Game Of Thrones, Demolidor e por aí vai. Então hoje vamos falar sobre “Good and Evil Braided Be”, o terceiro episódio de Penny Dreadful, que teve altos e baixos.

E, já começando, a parte que eu não curti foi a do Dorian e a Lily com a garota. Eu sei que isso pode causar a ira de muitos, mas Dorian Grey é o personagem que menos gosto na série toda. Tudo bem ele ser excêntrico e vir trabalhando o personagem muito bem até agora, mas aquela cena deles transando e todos ensanguentados me incomodou um pouco. Eu gosto das cenas do Dorian quando ele interage com a história da Vanessa, mas agora acho que ele e a Lily estão muito fora do resto história.

Eu fico me perguntando o que o Ethan está fazendo com aquela bruxa (até parece sogra falando kkkk). A mulher já falou que está com ele e quer levá-lo para o lado das trevas. Talvez o Ethan tenha imaginado que ela vai dar um Kinder Ovo para ele, porque só pode.

Agora, Sir Malcolm no trem mandou muito bem se impondo contra os caras que queriam que o Kaetenay fosse para outro vagão. Duas coisas nessa cena que me chamaram a atenção foram: primeiramente, quando Sir Malcolm foi levantando e a câmera atrás dele foi subindo junto, dando aquela impressão de como ele é imponente comparado aos dois que estavam querendo briga e, depois, quando ele se senta e fica esperando um agradecimento pela sua atitude e o Kaetenay não comenta nada. A cara que o Sir Malcolm faz é ótima.

O que mais me chamou atenção nesse episódio, sem dúvida alguma, foi a história do Monstro (eu nunca lembro o nome dele). O ator é muito bom e a história ajuda muito com as partes dramáticas. Na cena onde ele vê a Vanessa e cogita ir em sua direção, mas para quando ele vê que ela está acompanhada e nota que ela está feliz, ele dá um sorrisinho. Essa cena foi tão sutil e me tocou tanto. Foi bonito ver que a época que a Vanessa conversava com ele, serviu para criar um afeto dele por ela e não ficou só no interesse por ela ser uma mulher atraente.

Se no episódio anterior eu reclamei da cena dele andando na neve, dessa vez eu tenho que elogiar aquela cena dele em cima de uma charrete e quando a câmera vira e mostra a cidade de longe e aquelas árvores todas em volta. Quando ele chega à antiga casa e não encontra a família, eu imaginei que aquilo poderia ser uma alucinação dele e a família nunca ter existido. Só que depois ele acaba encontrando a família não sei como. Achei mal explicado essa parte, mas como foi triste ver que o filho dele está muito doente.

Finalmente o vampiro mais tosco morreu. Pelo menos, ele foi importante para deixar a Vanessa curiosa sobre seu passado e aí tivemos uma cena de explodir cabeças que foi a aparição do Monstro ainda na sua versão humana como uma das pessoas que cuidavam da Vanessa no Sanatório. Acredito que ele vai ser um dos que vai defender Vanessa do Drácula. Não consigo imaginar ele fazendo mal para ela.
Tecnologia do Blogger.