Crítica: Demolidor – 2ª Temporada


Depois do sucesso da 1ª temporada de Demolidor, a 2ª temporada chegou na Netflix e mobilizou os fãs naquele dia 18 de março. Acredito que a grande maioria assistiu no primeiro dia, e quem não conseguiu, fez de tudo para assistir o mais rápido possível, já que todos estavam loucos para ver não só a volta de Matt Murdock, como a aparição do Justiceiro e Elektra.

PONTOS POSITIVOS

Frank Castle. Justiceiro. Punisher. Seja lá como você escolheu chamá-lo, sem dúvida, Jon Berthnal foi a melhor coisa nessa segunda temporada de Demolidor. Desde o momento que ele apareceu em cena, ainda nas sombras, sem se mostrar muito, eu já fiquei super animada em ver mais daquele Frank Castle. O ápice de sua participação (na minha opinião) foram as cenas de pancadaria, principalmente aquela sanguinária da prisão, e a cena em que Castle conta sua história para o Demolidor, fazendo-o chorar, o que conseguiu me emocionar também.

Foggy Nelson não depende mais de Matt Murdock. Apesar de ter sofrido muito vendo esses dois brigando no decorrer da temporada até chegar ao ponto de por um fim na Nelson & Murdock, foi muito bom ver o Foggy se desprendendo do Matt e finalmente se vendo como o grande advogado que ele é. Com isso, tivemos a oportunidade de ver um pequeno crossover com Jessica Jones, ao ver Harper (Carrie-Anne Moss) oferecendo um emprego para Foggy, justamente onde Jessica é freelancer.

O Rei do Crime foi preso no final da primeira temporada, mas quem achava que ele não daria mais as caras foi surpreendido. Foi muito incrível vê-lo de volta, dessa vez em uma situação delicada dentro da prisão, mas ainda assim, como o "bom" e velho Rei do Crime. Foram participações pequenas, considerando seu papel recorrente na temporada passada, mas foi o suficiente para nos fazer tremer na base ao pensar "o que será que Wilson Fisk fará a partir de agora?".

PONTOS NEGATIVOS

O romance de Matt e Karen. Ok, eu sei que tudo isso foi uma preparação para a famosa queda de Murdock, mas eu não consegui engolir esse romance. Não me entendam mal, eu gosto da Karen Page, gosto do quanto ela tem cara de barbiezinha, mas se vira muito bem quando está em perigo (apesar que não perdoarei jamais ela ter matado do Wesley). Gosto de ver a Karen lutando pelo o que ela acredita ser justo e indo atrás de provas para concretizar suas ideias, mas ela com o Matt não deu pra mim.

Élodie Yung como Elektra. Não vou negar, fiquei empolgada ao vê-la nesse papel, virei team Matt + Elektra fácil, mas foi só no primeiro momento. A falha foi no desenvolvimento dessa personagem, que fez o famoso papel de "Maria vai com as outras" no desenrolar da temporada inteira. Ela chegou parecendo determinada, dois minutos de conversa com o Matt e ela já queria ser boazinha, mais dois minutos com o Tentáculo e ela já estava convencida de que ela era o mal em pessoa. O caso é que a Elektra Natchios de Demolidor não sabia ao certo o que era e o que queria, pra quem estava esperando a assassina de personalidade forte, foi um pouco decepcionante.

Tentaram superar as lutas da primeira temporada, mas não deu muito certo. As coreografias deixaram a desejar e a tentativa de um novo plano sequência não superou aquela da temporada passada. Teve cenas boas? Teve sim, mas também teve cenas horríveis! Além de golpes visivelmente falsos nas coreografias da Elektra, só eu reparei como a peruca do dublê do Stick estava falsa? Dava pra ver muito bem que não era o Scott Glenn em cena, eles poderiam ter dado um pouco mais de atenção nesses detalhes.

EXTRA

Na primeira temporada de Demolidor, vimos Matt Murdock tentando melhorar Hell's Kitchen não só como advogado, mas também como herói. Na segunda temporada, tivemos a chegada do Justiceiro, que acreditava que o trabalho do Demolidor não era efetivo, já que deixar os bandidos por conta da justiça não estava funcionando muito bem. Houve um episódio inteiro para mostrar essa diferença de pensamento do herói e do anti-herói, creio que com a intenção de explicar e justificar a ação de cada um deles, já que a solução, para Frank Castle, era matar todos aqueles que sustentavam o crime.

Particularmente, não consegui escolher um lado. Entendi perfeitamente o modo de pensar do Demolidor, considerando que Matt Murdock estudou e passou anos moldando seu caráter como advogado, mas também não consegui tirar a razão de Frank Castle, um soldado que teve a família assassinada injustamente.

No final das contas, ver Frank Castle tirando permanentemente certos criminosos de cena ao matá-los, Murdock começou a se questionar se seu modo de melhorar a cidade era mesmo efetivo ou não, já que os bandidos, uma hora ou outra, saíam da prisão e voltavam para a vida de crimes nas ruas. Ver os dois lados dessa mesma moeda foi bem interessante e espero ver mais disso numa próxima temporada...

Mas agora me diga vocês: aquela roupa vermelha do Demolidor é marca registrada do herói, mas vocês não concordam que a roupa preta era muito melhor do que essa? A máscara vermelha não deixa o rosto dele gordo?

Tecnologia do Blogger.