Crítica: Anomalisa


Olá, pessoal, esse é o meu primeiro texto aqui no De Volta Para a Taverna e admito que eu não sei se estou começando com o pé direito, já que vou começar falando de algo não muito popular, digamos assim. Vou falar um pouco sobre Anomalisa, uma animação em stop-motion com bonecos de silicone financiada por meio de crowdfunding, ou como é mais conhecida, a famosa “vaquinha”. Mas não se enganem, apesar de ser uma animação, não há nada de infantil nessa produção. Aliás, pelo contrário, não é nada recomendado para crianças.

Anomalisa foi dirigida e produzida por Charlie Kaufman, ninguém menos do que o roteirista por trás de Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças. Foi também indicada ao Oscar 2016 de melhor filme de animação.

Admito que no início eu estranhei bastante os bonecos de silicone, já que não estou acostumada a ver filmes assim. Acho que assim como a maioria das pessoas, no quesito animação, eu estou mais acostumada com o estilo Disney/Pixar.

Bom, a animação conta a história de Michael Stone, interpretado por David Thewlis, o Remus Lupin de Harry Potter. Michael é um palestrante motivacional bastante egoísta (ao meu ver) e que parece não ver diferença entre as pessoas. Para ele, todo mundo é igual, inclusive o seu filho e a sua esposa. A princípio admito que fiquei com um pouco de raiva por ele ser assim, mas depois descobri que isso, na verdade, é uma doença e se chama Síndrome de Fregoli (ou Fregoli delusion). Segundo o nosso querido Wikipédia, a Síndrome de Fregoli é uma doença rara em que uma pessoa detém uma crença ilusória de que diferentes pessoas são uma única pessoa que muda de aparência ou está disfarçada. A síndrome pode estar relacionada a uma lesão cerebral e é muitas vezes de natureza paranoica.

Nosso querido Michael Stone está chegando à cidade de Cincinatti para uma de suas palestras que vai acontecer no dia seguinte. Quando chega ao hotel, ele entra em contato com um antigo caso para que possam se reencontrar. Porém acaba não dando muito certo e Michael logo encontra outras duas jovens que foram ao local justamente para ver a palestra que ele dará no dia seguinte. Uma dessas jovens é Lisa, a nossa querida Anomalisa (trocadilho com anomalia) e é aí que ele a conhece e se apaixona. Bom, é nesse momento que a história começa a ficar mais interessante, pois mostra a relação dos dois, seus diálogos espontâneos e até mesmo uma cena em que Lisa canta Girls Just Wanna Have Fun da Cyndi Lauper. Aliás, uma das melhores cenas, na minha opinião.

Bom, pessoal, mais informação do que isso já seria spoiler. rs Então fica a indicação de uma animação bastante diferente e adulta. Adoraria saber a opinião de vocês sobre essa produção. Obrigada e até a próxima! :)
Tecnologia do Blogger.