Crítica: Supergirl - 1ª Temporada


Antes de assistir Supergirl, eu não dava nada pela série, muito pelas críticas de quem havia começado á assistir e dizia que a série era fraca e não prendia o telespectador. Vendo por esse lado, foi até bom eu ter começado á assistir Supergirl tão despretensiosamente porque a série acabou me surpreendendo.


Não sei por qual motivo, mas sempre que eu via a Melissa Benoist vestida de Supergirl em alguma foto ou gif, eu não conseguia colocar credibilidade. Como não conhecia a história, erroneamente ficava me perguntando o que de tão bacana a prima do Superman tem pra nos mostrar, e obtive minha resposta.


Kara foi enviada á Terra antes de Krypton ser destruída para cuidar de Kal-El, conhecido por aqui como Clark Kent aka Superman, mas devido á alguns imprevistos, ela só conseguiu chegar anos depois quando seu primo já era adulto e conhecido como super herói. Com isso, Kal-El a deixou com a família Denvers.


Depois desse pontapé inicial, vemos como é a vida de Kara Denvers na Terra. Ela tem um emprego comum, fez amigos como uma pessoa comum e em hipótese alguma usava seus poderes, vivendo na sombra de seu primo e muitas vezes se inferiorizando á ele. A Supergirl surgiu no impulso, quando ela foi vista salvando um avião ao qual sua irmã, Alex Denvers (Chyler Leigh), estava.


Apesar da série destacar a heroína, confesso que quem me conquistou mais foi a Kara. Melissa Benoist é um poço de carisma e ver ela interpretando aquela Kara toda "humanamente" atrapalhada é muito engraçado, eu sempre dava risada daquelas caras quando ela tentava mentir e falhava miseravelmente.


Além disso, gostaria de destacar a atriz Calista Flockhart, que caiu muito bem no papel da Cat Grant. Ver ela contracenando com a Melissa foi uma das coisas que mais gostei da série. Mesmo quando o assunto era sério, a personalidade narcisista de Grant garantia boas risadas, e o mais interessante de tudo isso é que ela começou como uma chefe megera e acabou se tornando um tipo de mentora não só para Kara como também para a Supergirl, mesmo que indiretamente.


Outro personagem que chamou minha atenção foi o Hank Hanshaw (David Harewood). No começo eu não dava nada por ele e muito menos ia com a cara dele, suspeitei do Hanshaw desde o começo acreditando que ele seria algum tipo de vilão, até uma das grandes revelações vir a tona e me fazer explodir a cabeça de tanto vibrar. A partir daí, apesar de alguns casos mal contados revelados mais para o final da temporada, Hank acabou se tornando uma figura paterna para Kara e Alex.


Impossível falar de Supergirl e não comentar o crossover com Flash. Se separados tais personagens já se destacam pelo seu carisma, juntos tivemos carisma ao quadrado. Foi muito divertido ver Kara e Barry (Grant Gustin) juntos, apesar de estarem se conhecendo, parecia que ambos já eram amigos de longa data de tão bem que se entendiam. Vê-los brincando e se divertindo em cena foi muito interessante.


Um ponto fraco da série, pra mim, foram os vilões. Eu não consegui dar credibilidade á Curto Circuito e Banshee Prateada, por exemplo. Não sei se foi por causa das atrizes ou do roteiro, mas realmente não me conquistou. Não sei se é pelo fato dos adversários serem alienígenas e não causarem muita simpatia, ser sempre aqueles seres estranhos (peço desculpa à comunidade alienígena que lê nossos textos, não foi a intenção ofender), mas senti falta daquele grande vilão que faz os telespectadores amar odiar, mas talvez isso ainda esteja por vir.


Apesar de ter gostado de vários personagens, não vou mentir: quando Cat Grant aparecia em cena, até meu coração sorria. Apesar de ter muitos momentos como aquela chefe insuportável tipo Miranda (O Diabo Veste Prada), não consegui não simpatizar com ela. Dei muitas risadas, torci e até me emocionei com a personagem.


Sabe aquele tipo de personagem que se acha o sabe tudo, mas tudo o que ele faz é cagada? Esse é o General Sam Lane. Sempre chegando na hora errada e tomando as decisões erradas, eu simplesmente quase morria quando algo não dava certo por ele ter se intrometido nos planos da DEO.


Agora quero saber de vocês: O que acharam de Supergirl? Ansiosos para a 2ª temporada que chega no dia 10 de outubro? Bom, estou curiosa para ver como vai ser agora que o Superman irá finalmente encontrar a Supergirl, espero que a aparição dele não cause um retrocesso na evolução da Kara.
Tecnologia do Blogger.