Hawaii Five-0: Makaukau 'oe e Pa'ani?


Finalmente vamos começar a falar da sétima temporada de Hawaii Five-0, depois de um final de sexta temporada angustiante, emocionante e, como não poderia faltar na série, engraçado. O primeiro episódio da sétima temporada já começa com alguns questionamentos.

Depois do acidente onde quase morreu, Steve começa a se perguntar se realmente vale a pena arriscar tudo por sua profissão e é nesse momento que ele encontra Jack Lord na capela do hospital. Lord, para quem não sabe, foi o ator que interpretou Steve na primeira versão da série, que durou 12 temporadas. O ator faleceu em 1998, mas graças à computação gráfica, a produção conseguiu trazer ele de volta à vida em um excelente diálogo com Steve, onde Lord se apresenta como um policial aposentado e fala sobre o quão importante é usar um distintivo e como isso muda a vida das pessoas. Eles também conversam sobre encontrar a pessoa certa, dá para notar o quanto Steve sente falta da Catherine e talvez esse diálogo seja o ponto de partida para o retorno dela na série. 

Nesse tempo entre o final da sexta e começo da sétima temporada, Chin se aproximou muito da sua sobrinha e começou a sentir um carinho paternal pela pequena Sara, mas encontraram a família da Vanessa no México e eles querem a guarda da menina. Quando fala com Kono sobre isso ele demonstra o interesse em ser pai. Ela até brinca que gostaria de ser chamada de “Tia Kono”, caso seu primo viesse a ter filhos, mas ficou claro que Chin vai querer lutar pela guarda de Sara.

Esse episódio realmente foi de subir pelas paredes (Ba dum Tss). Após encontrar um corpo na sede da Five-0, a equipe começa a perseguição ao assassino e acaba descobrindo que está lidando com um serial killer, que está matando outros serial killers como parte do seu jogo doentio de xadrez. Achei que esse vai ser um vilão interessante para temporada, pois dá a sensação de que vai ser cheio de jogos psicológicos e vamos sofrer muito pelos nossos queridos personagens. As cenas de perseguição também foram de tirar o fôlego, com muito parkour sendo feito pelas ruas e prédios havaianos. Também tivemos a apresentação da nova governadora que, pela atitude inicial, parece que vai ser mais presente na série.

Agora, vamos falar dos melhores parceiros que já se viu em seriados. O que foi aquela corrida de cadeira de rodas entre Steve e Danno pelos corredores do hospital? Eu não conseguia parar de dar risada, já que um estava jogando mais sujo que o outro. Já fora do hospital tivemos aquela costumeira discussão dentro do carro, aí finalmente Steve para o carro e fala para o Danno dirigir (acho que nesse momento todo mundo pensou “não acredito que vivi para ver isso”), mas Danno recusa, já que eram recomendações médicas (kkkkk). Com isso, Chin é chamado para dirigir e ele fica muito constrangido no meio do “casal” que tinha brigado. Uma menção honrosa ao Kamekona que está com projetos que sua empresa de entrega de comida seja maior que o Google. kkkkk

Algo que senti falta na sexta temporada foi a presença do Danno (Scott Caan) em vários episódios. Se nessa temporada conseguirem manter a frequência que ele participa e manter o nível que foi esse primeiro episódio, essa temporada tem tudo para ser a melhor até agora.
Tecnologia do Blogger.