Gotham: Blood Rush


O oitavo episódio de Gotham, Blood Rush, foi dividido em duas partes: de um lado, o Capitão Barnes e sua transformação e do outro, o triângulo amoroso entre Pinguim, Nygma e Isabella.

Eu fui uma das pessoas que mais reclamou da paixão do Pinguim pelo Nygma, mas a maneira como ela está sendo desenvolvida está impossível de não se divertir. Pinguim é aquele tipo de pessoa que mesmo fazendo de tudo para separar o Nygma da Isabella, no final das contas acaba fortalecendo ainda mais o relacionamento deles. E as caras e bocas que ele faz quando acha que seus planos estão dando certo e descobre que, na verdade, estão dando errado são impagáveis.

Que as pessoas de Gotham não são muito normais, isso já é algo óbvio, mas a Isabella está demonstrando um grau digno do Asilo Arkham. Na cena onde ela “voltou a ser” a Mrs. Kringle e refez a cena onde o Ed estrangulou a original me fez pensar “ela voltou pra série só pra morrer de novo?”, mas ela acabou ajudando Nygma à superar seu trauma. Apesar que no final ficou a impressão de que ela pode ter morrido mesmo, em um acidente causado pelo Pinguim, “a mal amada” da história. 

O outro foco desse episódio foi na transformação que o Capitão Barnes está sofrendo. Vimos como o homem que, até então, acreditava cegamente na justiça, tendo todo o seu ódio e frustração sendo colocados pra fora e decidindo fazer justiça com as próprias mãos. Claro que o gatilho disso foi o sangue da Alice, mas o sangue só despertou algo que ele já tinha dentro dele. Pela maneira brutal em que ele vem fazendo justiça, ele não vai conseguir esconder por muito tempo o que ele está se tornando.

Sem contar que o Gordon ouviu do cirurgião que foi o Capitão Barnes feito aquilo com ele. Será que isso vai desencadear uma caça do Gordan pelo Capitão Barnes? O que pode resultar desse confronto? 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.