Supergirl: Survivors


Nosso amigo de Daxam Manuel (Mon-El) contou como chegou à Terra e começou seu período de adaptação na DEO. Winn ficou responsável por descobrir mais sobre os poderes do “daxian” e o alívio cômico do episódio ficou por conta da dupla. Mon-El convencendo Winn a sair da DEO e a forma como ambos (principalmente Winn) perderam o controle em tão pouco tempo que estiveram fora foi fantástico.

Se ainda havia dúvidas, agora não há mais. A cara que a Alex fez (impagável, por sinal) ao ver a Maggie com a namorada deixou bem claro o interesse que ela tem. Antes mesmo disso, até a Supergirl já havia reparado que tinha algo diferente rolando entre as duas. 

J’onn J’onnz levou muito a sério aquele meme do “o que dizer dessa pessoa que mal conheço e já considero pacas?” em relação à M’gann M’orzz. Foi mais do que óbvio o quão invasivo ele foi com ela e realmente foi interessante ver a Kara aconselhando Hank sobre como resolver toda essa situação com a última filha de Marte. Se fosse só se desculpar por ter começado errado nem teria sido tão difícil, mas quando ele foi fazer isso, descobriu que M’gann estava com Veronica Sinclair, a vilã Roleta.

Veronica apareceu como organizadora de lutas ilegais de alienígenas na Terra onde só a elite da elite fazia apostas e M’gann era a lutadora invicta. Quando Veronica decidiu colocar os dois filhos de Marte para lutarem na jaula vimos mais do que uma luta física, acabamos vendo uma luta moral também, onde J’onn pôde compreender os motivos de M’gann e fazê-la repensar sobre como estava vivendo sua vida. No final das contas, como era esperado, os dois uniram forças e foram contra Veronica, tendo uma importante ajuda da Supergirl e da DEO.

Falando em Veronica Sinclair, eu amei o visual dessa nova vilã e vibrei demais quando vi Lena Luthor fazendo referência à Millennium ao compará-la com a personagem principal da história, Lisbeth Salander (apesar de achar que Sinclair tenha muito mais a ver com a Miriam Wu, namorada da Salander). O caso é que é muito comum vermos referências de clássicos bem conhecidos como Star Wars e Star Trek, mas ver uma referência a uma obra tão pouco conhecida como Millennium foi bem inusitado. Como fã, minha reação não poderia ter sido diferente.

Quanto mais Kara e Mon-El passam tempo juntos, mais eles conseguem se entender e até se identificar um com o outro. Durante todo o episódio foi mostrado esse desenvolvimento da amizade dos dois e eu estou curiosa para vê-los juntos fora da DEO agora que Kara resolveu ajudá-lo em sua adaptação nesse novo planeta. 

E quando havíamos pensado que tudo já estava se resolvendo, segundos antes de terminar o episódio, vimos que M’gann não era quem dizia ser. Parece que J’onn realmente é o último de sua espécie e eu nem imagino como ele irá lidar quando descobrir isso. E vocês? Deixem seus comentários!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.