The Flash: Killer Frost


Uma vez Sonserina, sempre Sonserina. Quando tudo indicava que Julian Albert era um cara legal e com propósitos de ajudar a humanidade, descobrimos que ele, nada mais é, do que o Dr. Alquimia. Tudo bem que muita gente já desconfiava, mas ele estava demonstrando ser um personagem tão interessante e de boas intenções, que fez com que a gente deixasse de lado essa teoria de que ele fosse o Alquimia. Mas pelo que deu a entender no final do episódio, não é uma coisa que ele faz por devoção, parece mais que ele está sendo obrigado. A cada episódio que passa, Julian Albert e Alquimia despertam mais minha curiosidade.

De todos os velocistas que apareceram, a diferença de poderes entre eles e Barry era algo imaginável, agora após a surra que o Savitar deu no Barry, parece impossível qualquer chance de vitória do Flash. A única probabilidade que eu vejo de uma vitória contra do “Deus da Velocidade” seria uma união entre Flash, Kid Flash e Jesse Quick. Isso também seria uma boa explicação para ter apresentado tantos velocistas nessa temporada.

Esse foi um bom episódio de The Flash com várias cenas em que ficávamos angustiados pelas situações que os personagens estavam passando. Foi desesperador ver a Caitlin lutando contra algo que estava tentando dominar a sua mente e ferir seus amigos. A reação do Cisco ao descobrir que foi o Flashpoint que matou seu irmão e ver aquela discussão dele com o Barry, destruindo uma relação de amizade tão forte que havia entre os dois, foi uma cena emocionante e triste.

Tivemos a chance de ver nesse episódio um Joe desesperado e agindo sem pensar. Por mais que ele dissesse estar agindo pelo seu próprio instinto, era mais um pai se sentindo impotente ao ver seu filho em uma situação que ele desconhecia. 

Nos diálogos do Barry com a Caitlin e com o Cisco e com tudo o que foi jogado na cara dele, dá para ver o quanto o Flash muitas vezes é um herói um pouco egoísta. Por mais que ele tenha pensando em voltar no tempo novamente para mudar o que havia acontecido nessa linha do tempo, ele ainda passa essa sensação.

A maneira como o Barry trouxe a Caitlin de volta, colocando sua vida em risco para provar que o que ele estava vendo ali não era uma assassina e sim a amiga dele, foi clichê, mas ainda assim teve seu valor emocional.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.