Agents of SHIELD: The Laws of Inferno Dynamics


Enfim chegamos ao fim do arco “Ghost Rider” da quarta temporada de Agents of SHIELD. Primeiro vale ressaltar que foi uma boa primeira metade de temporada. Apesar das várias mudanças que teve do final da terceira temporada para essa, os personagens conseguiram manter a qualidade mesmo a história se arriscando em um gênero mais místico do que havia vindo sendo mostrado. Os roteiristas também estão de parabéns por conseguirem fazer essa mistura do que a SHIELD vinha sendo e esse elemento novo que apareceu na história.

No confronto final contra Eli Morrow tivemos as duas equipes agindo. Enquanto a equipe de ciência preparava para extrair o artefato, a equipe de combate enfrentava Eli e seus capangas aleatórios. Eu gostei do plano do Coulson entrando só com a corrente e ganhando tempo até que toda a equipe estivesse pronta para executar o plano, o que foi uma cena bem interessante com a Ioiô (acho ridículo esse nome) alterando toda a cena de batalha e dando vantagem aos agentes da SHIELD e o final com o Robbie se sacrificando para cumprir com a sua vingança, mas pelo o que o Coulson deu a entender, ele já conheceu outros Ghosts Riders e eles conseguiram voltar de suas supostas mortes, agora resta saber o que que o Ghost Rider afetou no tempo em que esteve com o Mack.

Foi bom ver o retorno da Daisy de volta à SHIELD. O diálogo dela com o Coulson onde ele deixou claro que a intenção dele era ter um Inumano como diretor da SHIELD, mas que sua primeira opção não era o Mace, e sim a própria Daisy, deu espaço para uma ótima piadinha onde ela faz referência aos quadrinhos.

Por falar no diretor Mace, a cena em que ele comenta sobre sua atração pela Aida foi impossível de segurar as risadas. Essa atração dele pela androide e sua falta de expressão ajudam a fortalecer a minha teoria de que ele não é um Inumano, e sim um robô.

Desde o episódio passado já estava meio na cara que com o conhecimento que a Aida havia recebido do Darkhold havia alterado sua programação dando à ela uma personalidade, e como sempre os robôs tem essa mania de se voltar contra a humanidade, com a androide não foi diferente. Sua primeira vítima foi a dona da juventude eterna Agente May. Ao que foi mostrado, May ainda está viva, mas está em um estado bem grave. Enquanto isso Aida criou um clone da agente e a infiltrou na SHIELD. Pelo o que parece esse debate mais filosófico sobre a vida vai ser o tema principal dessa segunda parte da quarta temporada da série. Claro que isso misturado com muita ação.

O próximo arco da série intitulado LMD começa no próximo episódio que vai ao ar no dia 10 de janeiro. Ansiosos?



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.