Arrow: What We Leave Behind


Realmente parece que o crossover serviu para dar novos ares à Arrow. Deu pra notar uma leve diferença nesse episódio pós-crossover. Para começar o fato do flashback do Oliver não ser do tempo em que ele estava desaparecido e sim já na época em que ele agia como o Capuz. Tudo bem, o flashback continua sendo chato na história, mas foi usado de uma maneira um pouco melhor nesse episódio. Pelo jeito essa vai ser a maneira que vai ficar daqui pra frente, então vai servir para a gente ver dois Olivers diferentes. Um todo revoltado e matando quem encontrava pela frente e outro tentando se redimir do seu passado. Por mais que antes mostrasse o passado do Oliver, desse jeito ficou mais claro a diferença de personalidade.

Evelyn resolveu mostrar quem realmente é e quais são suas verdadeiras intenções. Todos descobriram que tinha uma traidora entre eles e o primeiro a sofrer com isso foi Curtis, que além de ter tido sua identidade secreta exposta, o que vamos combinar que não era uma coisa difícil de descobrir, também teve seu casamento com Paul afetado.

Deram a entender qual seria a verdadeira identidade de Prometheus, mas em momento algum ele afirmou quem realmente era ou tirou a máscara, o que é bem comum acontecer quando os vilões têm sua identidade revelada, deve ser algo que está no manual deles. Acredito que sua verdadeira identidade ainda vai ser um mistério que quando revelado será algo de explodir a cabeça ou talvez seja só o filho do Claybourne mesmo e eu que esteja colocando muita expectativa nos roteiristas de Arrow.

Voltamos a ver mais das habilidades que a Felicity não possui, como por exemplo, disfarçar, mentir e evitar momentos constrangedores. Por mais que nos outros episódios ela viesse com leves doses de humor em seus diálogos, fazia tempo que não vimos o humor que tanto conquistou os fãs nas primeiras temporadas, protagonizando várias cenas cômicas que deixaram o episódio mais divertido. 

Em contrapartida, Felicity vivenciou um dos momentos mais tristes do episódio também, que foi a morte de seu namorado Billy pelas mãos do Oliver. Por mais que o personagem não tivesse sido muito desenvolvido até o momento, a maneira como ele morreu contribuiu para que a gente sentisse a dor da personagem. Algo que me deixou um pouco preocupado nessa cena foi de caírem naquele clichê de ela ficar com raiva do Oliver e abalar a equipe, só fiquei surpreso quando ela viu logo de cara que o real culpado era o Prometheus.

Achei bonita a cena onde Oliver foi desabafar com a Susan. Enquanto ele falava, passavam cenas de alguns dos membros de sua equipe sofrendo as consequências dessa cruzada contra o crime da qual eles escolheram viver. E então, para finalizar o episódio, do nada aparece Laurel Lance viva, o que realmente foi uma surpresa, pois achei que o seu retorno iria ficar apenas no centésimo episódio da série apenas como um fan service, mas a resposta para o seu retorno só iremos saber no próximo episódio que vai ao ar só em 2017.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.