Criminal Minds: Scarecrow


O que mais parecia ser um episódio no maior estilo slasher movies, acabou tendo várias camadas mais profundas que apenas um assassino perseguindo pessoas.

Criminal Minds sempre tenta mostrar algo mais do que apenas a história contada. Se pararmos para analisar bem os episódios, sempre vemos uma crítica social, fanatismos religiosos, violência doméstica, abuso de autoridade e nesse episódio não foi diferente. Um dos focos desse episódio foi um garoto criado por um pai machista, agressivo e com um dogma purista e como isso o afetou depois que ele se tornou adulto, mostrando também como toda a violência que ele sofreu quando criança o deixou marcado pelo resto da vida, o tornando um assassino em série de mulheres que ele considerava impuras.

Por mais que tenha sido um breve momento no episódio, algo que me chamou muita atenção foi quando o Reid e a Prentiss foram conversar com a amiga da vítima e ela desabafa quando percebe que os dois estavam tratando-a como uma pessoa, não apenas como uma prostituta ou objeto como as outras pessoas a viam, dizendo que aquela vida que ela levava não era algo que ela tinha sonhado para o seu futuro e sim uma solução que ela encontrou para conseguir sobreviver. Eu gosto da maneira como eles costumam abordar esses temas tentando diminuir um pouco o preconceito sobre vários grupos. Outro breve momento foi no começo do episódio onde a vítima pediu ajuda em vários lugares e todo mundo deu as costas e então vem aquele comentário do Reid que é triste ver as pessoas negando ajuda nos tempos atuais, mas que se levar em consideração como o mundo está hoje, é uma maneira de se proteger. Realmente, se você abrir a porta da sua casa para qualquer estranho, você nunca sabe se está ajudando mesmo ou se colocando em perigo.

Mais uma vez foi a BAU que acabou salvando a vítima, só que se não fosse ela usar todo o conhecimento que havia aprendido para sobreviver nas ruas, ela não teria ganhado tempo com o assassino até a chegada dos agentes. 

Pudemos ver como a situação da saúde da mãe do Reid está afetando seu desempenho nos casos. Em 12 anos de Criminal Minds, eu não me lembro de ter visto ele voltar um documento para reler ou até mesmo diminuir a velocidade nas suas pesquisas. A história da doença de sua mãe é uma história que vem sendo desenvolvida há muito tempo, se não me engano, desde o momento em que ele falou sobre ela nas primeiras temporadas, então não é algo gratuito só para conquistar o público. Você acaba se envolvendo muito nessa história e se importando ainda mais com o personagem.

Mas não só de momentos tensos e tristes vive Criminal Minds, há também alguns momentos cômicos e na maioria das vezes esses momentos envolvem a Garcia. Primeiro, a relação entre ela e o Luke não é tão forte quanto a que ela tinha com o Morgan (sim, eu nunca vou superar isso), mas ainda assim está sendo algo divertido de se ver. Ela tentando colocar autoridade sobre ele e os risinhos que ele dá enquanto ela está falando parece mais o ator fazendo isso do que o próprio personagem. Com a chegada desse novo integrante, Luke ficou feliz achando que perderia o posto de novato e seria tratado com um pouco mais de respeito pela Garcia, mas como todos vimos e a JJ falou, a Garcia não muda de opinião facilmente.

Sempre que um personagem novo entra na equipe, eu fico com um pouco de receio de não ter aquela química com o grupo já formado, e como o Hotch “saiu” da série, eu achei que iriam tentar substituí-lo colocando um personagem com as mesmas características dele. Por sorte, a impressão que deu é que seguiram por um caminho diferente. Estou ansioso para ver como vai ser essa nova formação nos próximos episódios.

A série retorna no dia 01 de janeiro.





2 comentários:

  1. Eu também tô gostando muito! Só espero que nada aconteça com Reid!

    ResponderExcluir
  2. Eu também estou torcendo para que não aconteça nada, mas tudo indica que ele vai ter episódios bem fortes nessa temporada relacionado à mãe. E como o Scratch está atrás dos membros da BAU e suas famílias, então é bem possível que ela seja vítima dele.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.