Hawaii Five-0: Ka’ili aku


Depois de 11 episódios, finalmente chegou a vez de contar a história de Chin e Sara. Meus amiguinhos, que episódio! Teve de tudo: humor, drama, ação... E raiva por acabar o episódio e ter que esperar um bom tempo até o próximo para saber a continuação da história.

Já é a segunda vez nessa temporada em que saímos do cenário mais colorido e paradisíaco do Hawaii para embarcar em outro cenário de cores quentes, como foi nesse episódio, situado no México. O ar do deserto acaba criando um contraste com o visual que estamos acostumados a ver na série.

Ka’ili aku tinha tudo para ser um dos momentos mais tensos dessa temporada. História para isso tinha, só que também tinha Danny e Lou indo investigar o corpo e com esses dois juntos é quase impossível um momento completamente sério. Não sei se foi só impressão minha, mas o Max parecia estar se divertindo muito com a situação em que os dois estavam passando. Ficou aquele gostinho de vingança por todas as vezes que o Danny fez comentários idiotas sobre o trabalho dele.

O gostoso de Hawaii Five-0 é que às vezes você até sabe a piada que está por vir, mas ainda assim ela continua sendo engraçada. No momento em que o policial mexicano disse que seria impossível invadir a casa do maior mafioso local, estava mais que na cara que o McGarrett iria dar um jeito de invadir, e bastou apenas duas visitas para que Ramirez soubesse que Steve era o caos em pessoa. Porque o McGarrett é desses: não basta invadir uma vez, tem que voltar para pedir mais informações.

Esse foi um dos melhores episódios da temporada e tem ligação com um dos que eu menos gostei. Até hoje eu não consegui superar aquela cena bizarra da Kono saindo da mala e atirando naqueles criminosos, tudo aquilo serviu para a Five-0 ganhar outros inimigos, como se já não tivessem o suficiente.

Assim como no primeiro episódio da série, mais uma vez McGarret se vê como alvo de alguém querendo vingar a morte do irmão, só que dessa vez ele não é o único alvo, mas sim toda a Five-0. Usando a pequena Sara como isca, a equipe foi atraída para uma armadilha no México. Não sei se é pelo fato de eu querer ver a Sara de volta com o Chin, mas a todo o momento que eu a via com a família materna, eu ficava achando que eles eram os culpados de tudo.

O que começou com o Tenente Kelly passando vergonha na sua festa de aniversário, já que aqueles depoimentos estavam longe de ser um presente, e terminou com ele se entregando para salvar a vida de sua sobrinha, e a continuação disso só iremos ver em 2017.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.