Mega Crossover CW - Crítica Final


Muito se falou sobre o grande crossover que a CW iria promover entre suas quatro séries de heróis. Realmente foi algo grande, batendo recordes de audiência, mas precisamos falar sobre como a ideia foi mal vendida ao especificarem como “4 noites de crossover”, já que o episódio de Supergirl, onde teoricamente a reunião dos heróis começariam, teve menos de cinco minutos de introdução à história. Esses minutos acabaram sendo reprisados no episódio de The Flash, o que acabou tornando totalmente irrelevante a tal “primeira noite de crossover” prometida pela emissora.

Talvez os grandes objetivos desses episódios foram ver a reação dos personagens – e não só do público – ao descobrirem de todos os efeitos que o Flashpoint causou na vida de cada um e a introdução da Supergirl nesse universo. Infelizmente, ficamos com a sensação de que a nossa menina Kara foi irrelevante nesses episódios, como se a participação dela fosse única e exclusivamente para introduzir a personagem e facilitar sua participação nas futuras histórias, agora que ela conhece as equipes do Team Arrow, The Flash e Legends of Tomorrow, já que pareceu que tudo poderia muito bem ter sido resolvido sem a presença dela na grande equipe.

Quando ficamos sabendo que teria o crossover, imaginamos uma história com todos os personagens envolvidos, mas o que foi mostrado foi uma história particular para cada núcleo apenas com participações dos outros personagens. Foi um pouco decepcionante a maneira como eles decidiram contar essas histórias de forma tão dividida ao invés de fazer tudo como uma coisa só.

Por mais que o foco principal tenha sido a introdução da Kara e as ações do Barry, quem teve mais destaque nessa história – por incrível que pareça – foi o Oliver. Ele demonstrou ser um cara mais centrado e, mesmo sendo um pouco antipático, era um personagem bem mais agradável do que ele é em sua própria série. Talvez seja esse o Oliver que os fãs querem ver. 

Uma coisa que me incomodou visualmente foram os alienígenas. Será que não existe nenhuma outra ameaça que pudesse ser capaz de unir todos os heróis sem usar de tantos “defeitos” especiais? A forma como os Dominadores foram representados causou certa estranheza. Outra coisa que também me incomodou foram aqueles hologramas dos quais Oliver se despediu ao sair daquela ilusão, poderiam ter caprichado um pouco mais.

Oliver Queen relembrando um pouco de elementos do seu passado nesse episódio serviu muito bem como uma comemoração pelo centésimo episódio da série, e falando nisso, realmente achei que a Laurel voltaria definitivamente para a série, mas parece que foi mais como um presente para os fãs mesmo. Espero que, a partir de agora, assim que acabar a saga do Oliver na Rússia, eles decidam parar de contar sobre o seu passado e sigam sua história em frente, mostrando o Oliver como foi mostrado nesse crossover, porque acho que já deu aquele Oliver amargurado.

Por mais que os personagens de Legends of Tomorrow tenham tido seu espaço, ainda assim fiquei com a sensação de que eles ficaram renegados a segundo plano nessa história. Apesar de alguns problemas, para uma primeira história envolvendo tantos personagens – lembrando que os outros crossovers envolviam bem menos atores – foi uma boa experiência. Sem contar que a química entre eles foi muito boa, sem exceções. Isso faz criar expectativa para próximos episódios onde os heróis estarão novamente juntos. Só espero que a CW corrija os erros desse primeiro.

O que vocês acharam desse mega crossover? Falando mais detalhadamente de cada episódio nos nossos review de Supergirl, The Flash, Arrow e Legends of Tomorrow! Não deixem de comentar!


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.