The Flash: Borrowing Problems From The Future


Finalmente voltamos do hiato em The Flash. Mesmo ficando um tempo sem ver Barry parece que nada mudou, ele ainda continua com essa mania de querer carregar os problemas do mundo nas costas. Eu gosto dele como personagem, mas sinceramente essa atitude dele me incomoda muito. Parece que não se encaixa muito com o personagem. Ele é alguém que você vê e pensa que sabe trabalhar muito bem em grupo. Isso de querer resolver tudo sozinho é muito mais a cara do Oliver Queen e ainda quando ele age assim, ele fica insuportável.

Na minha opinião, a Iris melhorou muito no decorrer da história. Ela se tornou uma personagem muito mais agradável, porém o romance dela com o Barry é muito sem sal. Os dois parecem não ter química alguma, sendo que as cenas que eles interagem como casal acabam sendo bem chatas, ao contrário das que ela ocupa o lugar de melhor amiga, coisa que funciona muito bem por sinal. Ela tem um ponto forte a seu favor: ela é a única que às vezes consegue fazer o Barry mudar de opinião (bicho cabeça dura).

E como já foi dito, essa segunda parte da terceira temporada vai ser focada na tentativa do Barry em mudar o futuro e salvar a vida da Iris. O conceito dele de tentar achar o ponto exato na vida deles e tentar mudar isso para que Savitar não a mate é realmente interessante. A ideia de que um momento pode mudar toda sua vida já vem acontecendo na série com as mudanças que Barry fez no passado. Agora vamos ver isso de uma perspectiva diferente. O meu medo é que essa obsessão dele acabe tornando o personagem chato e a qualidade da série acabe caindo. Já vimos o que acontece quando a CW tenta focar muito em um relacionamento nas temporadas anteriores de Arrow.

Como Barry anda tendo essa carga dramática toda, resolveram colocar Wally como um personagem mais divertido. O complicado é que ele é realmente mais infantil, e sua personalidade muda muito de um episódio para o outro. Ele fica chato quando tenta mostrar que é capaz e acaba parecendo forçado quando tenta ser divertido. Acho que a produção está tentando forçar nele um alívio cômico muito brutamente. Queria ver ele sendo desenvolvido com mais calma para que a gente se apegue ao personagem e possa se divertir e torcer por ele.

Entre todas as coisas que vem para deixar o Team Flash preocupado, a que mais mexeu comigo foi a possibilidade da Caitlin se tornar a Nevasca. Nas suas aparições como vilã na série ela foi muito bem, só que ela é uma personagem muito querida, então qualquer uma das possibilidades para o futuro dela, sendo como vilã ou heroína, vamos ter perdas e ganhos. Já a própria Caitlin não pensa assim e resolveu por conta própria pedir ajudar a Julian para tentar parar sua transformação, só que inicialmente isso causou um clima muito estranho na equipe. O que foi estranho depois é o Julian aceitar trabalhar com eles mesmo sendo ignorado de começo. Por mais que ele queira fazer o bem, ele me parece orgulhoso demais para isso.

The Flash é uma série com ótimos atores, mas se tem alguém que está sempre surpreendendo é Tom Cavanagh. A cada nova versão de Harrison Wells que conhecemos, acabamos nos simpatizando de maneiras diferentes. Mesmo sua primeira versão sendo do vilão que matou a mãe do herói, ainda assim seu carisma nos conquistou. Se tem uma coisa que sempre podemos esperar dele é que ele nunca vai ser um personagem chato sem uma história cheia de reviravoltas.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.