Agents of S.H.I.E.L.D.: Hot Potato Soup


Na busca pelo Darkhold tivemos o episódio mais divertido dessa temporada. Sempre que os Koening aparecem podemos esperar uma boa dose de humor e algo até um pouco nonsense, mas essa aleatoriedade nas histórias quando eles participam é o que deixa tão engraçado. Eles conseguem fazer uma cena séria se tornar cômica com muita facilidade e o fato de eles não aparecerem tanto é que torna as suas participações tão marcantes.

Acho que todos que estavam assistindo o seriado deram risadas na hora que Koening estava falando com a Daisy todo empolgado sobre as fanfics que ele lia dela com a Viúva Negra.

Conhecemos toda a família deles (pelo menos até aparecer mais 15) e, dentre todos, a única irmã L.T. é de longe a mais badass, ela consegue colocar todos os excêntricos irmãos na linha sem deixar a veia cômica de lado. 

Mas ao final do episódio eu me senti um idiota, assim como aquele agente que achou que os Koenings eram andróides. Eu tinha certeza absoluta disso, o fato deles voltarem a aparecer nesse arco indicava alguma ligação com o tema. O comportamento estranho deles e de sempre aparecer um novo, na minha teoria ou eles eram andróides ou eram um bando de Droopy disfarçados de agentes. Achei interessante eles serem os cientistas que começaram a trabalhar com androides na SHIELD, uma versão menos avançada do que o Doutor Redcliffe criou.

Lembro que desde a primeira temporada eu vejo gente falando sobre a relação de May com o Coulson, dizendo que são um ótimo casal e enfim tivemos o primeiro beijo dos dois. Pena que a alegria não durou muito, já que na verdade ali era a androide e não a May verdadeira. Ainda assim foi triste ver a androide fazendo algo contra a vontade dela. Ela só queria viver e ser feliz e pelo fato de estar no lugar de uma personagem tão querida quanto a May, isso pesou ainda mais.

Eu não sou fã de casais em série, sempre acho que acaba diminuindo o personagem, mas a maneira que foi sendo construída a relação do Coulson com a May por quatro temporadas até esse interesse ficar mais evidente foi bacana. Me fez importar com os personagens. Não é apenas mais um casalzinho. Você sente o carinho entre eles e vê que ali tem algum sentimento. Não é algo jogado do nada só para agradar o público como acontece em muitas outras séries.

A cada episódio estamos conhecendo um pouco mais do passado dos personagens e de um jeito muito bom sem usar flashbacks. É apenas a descrição do ator e a carga dramática que ele consegue transmitir. No episódio passado descobrimos sobre a filha que Mack perdeu. Dessa vez ficamos sabendo um pouco sobre a relação entre Fitz e seu pai, que pelo jeito não é nada boa. Agents of SHIELD trabalha bem com clichês, eles sabem usar de uma maneira que fique interessante e algo me diz que o pai do Fitz ainda vai aparecer associado ao grupo anti Inumanos ou como algum vilão da série. E na minha opinião, Fitz merece mais espaço na série. Não que ele seja deixado de lado normalmente, mas sim pelo fato do tanto que ele cresceu da primeira temporada para cá. Ele já teve danos mentais, já foi para outro planeta resgatar a Jemma, vive tentando superar todas as limitações que seu personagem enfrenta, inclusive o fato de ser sempre traído por aqueles que ele vê como uma figura paterna. E também a relação dele com a Jemma ter deixado de ser o alívio cômico para ter real importância na série tomando atitudes que fazem diferença é um dos motivos de Agents of SHIELD sempre melhorar de uma temporada para outra (assim como Gotham vem fazendo).

O próximo episódio vai ao ar na terça-feira e parece que vem mais revelações por aí.





Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.