Arrow: Bratva


Oliver levando um soco na cara de um ex-companheiro, Diggle fora de controle e Felicity botando medo em bandido são algumas das coisas que tivemos nesse décimo segundo episódio de Arrow.

Depois do General Walker fugir da prisão nos Estados Unidos, ele viaja para a Rússia para vender uma bomba nuclear. Para tentar impedir que isso aconteça e para colocar o homem que armou para que Diggle fosse preso novamente, Oliver vai com sua equipe para a Rússia. E até esse momento só conhecíamos a amizade que havia entre Queen e Anatoly (adoro esse russo), mas acabamos descobrindo que a relação entre os dois não ficou assim tão amistosa depois que Oliver traiu a Bratva.

Antes de capturar o General com a bomba, o Arqueiro primeiro precisava reconquistar o respeito da Bratva e não ia ser tão fácil assim agradar os russos. Oliver precisou voltar aos seus tempos de membro da organização e ameaçar um cara, ou seja, nada mais que um dia normal na vida do Senhor Queen. O que complicou foi o final onde Anatoly mostrou que ainda está interessado no seu antigo companheiro e ainda mais agora que ele é prefeito de Star City.

Vimos um pouco mais da relação entre Oliver e Talia e como ela é pilha errada. Gostei muito da personagem e da história entre eles, o que foi chato foram os momentos de flashback que acabavam com o ritmo do episódio. Outro ponto é que o flashback sempre mostra uma situação do passado onde Oliver teve de tomar uma decisão e agora no presente ele tem a chance de fazer diferente. É uma boa mensagem, mas ele está revivendo nos últimos cinco anos de série o que ele viveu na ilha. Está explicado o motivo daquele mau humor todo.

Diggle estava no auge da raiva, já estava até achando que ele ia colocar um capuz verde e sair dando flechada em todo mundo. Ele viveu um inferno nos últimos tempos, mas a mudança de personalidade dele foi muito do nada. Poderiam vir trabalhando essa raiva toda nos episódios anteriores.

Agora, uma coisa que não entendi foi o mimimi todo do Oliver e do Rory para cima da Felicity. Ela mandou muito bem ameaçando um cara corrupto para conseguir as informações e isso ajudou a salvar muita gente e, no final das contas, ela não machucou ninguém. Só o Rory que acabou se dando mal depois de conter a explosão, mas isso nem foi culpa dela.

O ponto alto do episódio para mim foi a relação entre Quentin e Rene, que foi algo totalmente inusitado e que acabou se tornando bem interessante de se ver. Talvez com a ajuda de Rene, Quentin consiga se recuperar e voltar a ser como era antes.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.