Arrow: The Sin-Eater


Quem diria que Arrow realmente iria começar a melhorar nessa metade final da 5ª temporada? Depois da série quase ir para o fundo do poço na terceira e quarta temporada fazendo com que muitos fãs parassem de acompanhar a série, agora parecem ter encontrado um caminho novo para seguir com pequenas mudanças que fazem muita diferença. No texto do episódio anterior já citei algumas e, dessa vez, quero focar na que parece ser a principal, a mudança de personalidade de Oliver Queen.

Nas duas primeiras tivemos um cara em busca de vingança que era um pouco babaca, mas ainda assim era interessante. Sem dúvida, tinha mais defeitos que qualidades. Como não estávamos acostumados com heróis na TV que matassem, foi uma novidade interessante, com um tom de realidade herdado da trilogia Batman do Nolan.

Aí, com a terceira e quarta temporada, Oliver decidiu parar de matar e se tornar um justiceiro mais calmo, muito disso por causa da sua paixão por Felicity. O romance foi o começo do declínio da série, pois conseguiu transformar dois bons personagens no casal mais chato e sem química possível.

Apesar de um começo de quinta temporada onde Oliver estava mais insuportável do que nunca, aos poucos o personagem começou a se acertar. A cada episódio ele se mostra mais maduro e mais humano. Ser prefeito foi uma coisa boa para ele. O personagem agora viu que é capaz de salvar o dia mesmo sem o uniforme e essa vida dupla que ele vem enfrentando para salvar a cidade faz com que ele precise ser as duas pessoas diferentes dependendo do que a situação pede. Ele está com a cabeça mais no lugar e depois de quase cinco temporadas começou a parecer um herói de verdade.

Agora falando do episódio dessa semana, eu realmente achei as três vilãs fracas e totalmente desnecessárias. A história poderia ter sido focada na força especial tentando capturar o Arqueiro e ele buscando maneiras de provar sua inocência. Mesmo que tenha sido por um breve momento, eu gostei de ver isso e gostei da maneira como o Oliver resolveu. Por que ocara que há anos vem ajudando a cidade a se livrar dos piores bandidos, aqueles que a polícia não seria capaz de cuidar sozinha, de uma hora para outra mataria um policial inocente? Não fazia sentido. Gostei de ver o capitão acreditando. Se bem que a primeira impressão que tive é de que ele havia ido lá para prender o Arqueiro.

Agora quanto à atitude da Thea e da Felicity, para começar, eu gostava da repórter mesmo que ela tivesse o material que poderia destruir o maior segredo do Oliver. Só que eu gosto mais ainda da Thea. A maneira com ela faz as coisas, como o próprio Oliver disse, esse tipo de atitude lembra muito a Moira Queen que não pensava nas consequências para proteger os filhos. E foi graças a um conselho da Thea que esse episódio se resolveu. Primeiro ajudando o Quentin a lidar com seus pecados, depois o próprio Quentin dando o mesmo conselho para o Oliver.

Estou gostando de ver como os personagens estão amadurecendo e como estão tendo mais espaço na história para conhecermos eles melhor. Eu gostaria de saber o que os fãs estão achando. Para vocês, a série também está melhorando ou continua a mesma coisa?



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.