Crítica: Black Mirror − 3ª Temporada


Ah, como eu demorei para terminar a terceira temporada de Black Mirror e como eu me arrependo. Muito bem falada ainda com duas temporadas na Netflix, a série chamou minha atenção e fui tirar a prova por mim mesma. A verdade é que por mais que eu tenha achado a série e os assuntos abordados bem interessantes, não achei que Black Mirror valia toda aquela fama de “explodir cabeças”. Eram ótimos episódios que nos faziam pensar sobre como lidamos com a tecnologia e até onde ela pode chegar. Enquanto eu via muita gente falando sobre o famoso episódio do porco (S01E01) e aquele em que os olhos são câmeras que registram toda a sua vida (S01E03), o episódio que mais me chamou atenção foi White Bear (S02E02) e eu vou explicar o porquê - antes de chegar na 3ª temporada.

Os episódios anteriores de White Bear são episódios que eu vou chamar de "padrão". Eles te apresentam aquele mundo, te mostram como funciona e depois desenvolvem a trama. Já White Bear tem o diferencial de ir se desenrolando sem te apresentar nada. Você vê uma mulher correndo, sem saber onde está e o que está acontecendo, enquanto é perseguida por certas pessoas que querem matá-la tendo dezenas de outras pessoas correndo atrás e registrando tudo com celulares sem prestar uma ajuda sequer. Você começa a assistir sem entender nada, então se vê questionando sobre o que é aquilo e porque aquilo está acontecendo, até você sentir seu cérebro se esforçando para criar teorias sobre tudo o que está vendo, e então vem o famoso “Black Mirror explodidor de cabeças”, porque quando você chega no final do episódio onde tudo começa a ser explicado, você se dá conta de que nem nas suas teorias mais loucas, você conseguiria chegar naquela ideia. Esse episódio definiu Black Mirror para mim. Era isso que eu estava esperando ver desde o começo e quando eu pensei que só viria episódios melhores, veio o episódio do Waldo (considerado o mais fraco) e o especial de Natal, que até tem a mesma vibe de White Bear, mas para mim não conseguiu superar.

Comecei então a terceira temporada agora em busca do motivo pelo qual as pessoas estavam comentando que a série pode te deixar neurótico com a tecnologia avançando cada vez mais. O primeiro episódio trouxe uma crítica e tanto, mas foi um episódio "padrão", daquele jeitinho que expliquei anteriormente, então achei que a série continuaria assim e pensei que os próximos episódios poderiam esperar até um momento em que eu estivesse com um pouco mais de tempo. Foi um erro estrondoso porque quando eu voltei para assistir, começando por San Junipero (S03E04) que era o que eu mais tinha ouvido falar dessa temporada, eu fui surpreendida tão positivamente que senti aquela urgência de assistir todos os episódios o mais rápido possível. Vou apresentar agora os episódios da 3ª temporada:

Episódio 1 - Queda Livre (Nosedive)

Esse episódio foi uma crítica tremenda à situação atual onde há pessoas desesperadas para serem notadas nas redes sociais com uma necessidade desenfreada de mostrar como suas vidas são perfeitas, mesmo que isso seja mentira. Lacie é uma dessas pessoas e vive em um universo em que existe esse aplicativo que os usuários votam uns nos outros criando assim um ranking de "pessoas mais legais", que é exatamente onde ela quer chegar a qualquer custo.

Episódio 2 - Versão de Testes (Playtest)

Sem dúvidas, esse é um dos meus episódios favoritos. Nele, Cooper, um viajante americano, precisa de grana para voltar para casa e acaba se inscrevendo para testar um novo sistema de jogo de realidade virtual para conseguir esse dinheiro, mas chegando lá, ele descobre que aquela realidade está "real demais". Me fez lembrar do anime Sword Art Online, onde os jogadores ficam imersos no jogo e se morrerem lá, morrem na vida real também. Mas Versão de Testes é extremamente mais perturbador e te pega de guarda baixa, o que tornou bem revoltante para mim (mas de uma forma positiva, se é que tem como ser). 

Episódio 3 - Manda Quem Pode (Shut Up and Dance)

O famoso episódio que fez com que muita gente tapasse suas webcams. Um jovem tem seu computador invadido e é ameaçado pelos hackers para que ele faça exatamente o que é pedido ou um vídeo de um momento íntimo dele seria vazado para todos os seus contatos. Durante o episódio, acabamos conhecendo outras vítimas desses mesmos hackers e só no final suas histórias são reveladas. Faz com que você reveja toda a sua perspectiva sobre as pessoas.

Episódio 4 - San Junipero (San Junipero)

Tudo começa com o encontro de Yorkie e Kelly, duas jovens totalmente diferentes que acabam criando uma conexão sem igual. Com o decorrer do episódio, você vai descobrindo mais sobre aquela realidade e as informações vão chegando até você sutilmente enquanto você está envolvido com a história dessas duas, e quando vai chegando ao final, você é surpreendido de uma maneira tão bela que é impossível não ser cativado pela história. Realmente emocionante. Acho que é uma das histórias mais bonitas que eu já assisti.

Episódio 5 - Engenharia Reversa (Men Against Fire)

É mostrado um grupo de soldados em luta contra seus inimigos tendo um foco maior em Stripe, que estava em sua primeira missão. Depois disso, o soldado começa a ter sensações estranhas e apresentar falhas técnicas em sua programação, fazendo com que ele enxergasse as coisas de uma forma diferente. Esse episódio retrata tão bem nossa realidade mais suja que chega a ser triste e revoltante.

Episódio 6 - Odiados Pela Nação (Hated in the Nation)

Se você tem o costume de "xingar muito no twitter" é melhor ficar atento a esse episódio. Tudo começa com uma repórter sendo esculachada nas mídias sociais e aparecendo morta poucas horas depois. Uma detetive e sua assistente especializada em tecnologia descobrem que a morte tem a ver com tais mensagens de ódio e vão atrás até fazerem uma descoberta assustadora. O final desse episódio deixa totalmente em aberto um assunto que pode vir a ser falado na próxima temporada da série.

Black Mirror tem muitos easter eggs fazendo acreditar que, apesar de cada episódio se tratar de uma história e de pessoas diferentes, todas elas acontecem em um mesmo universo. Como, por exemplo, no noticiário que aparece nesse último episódio, tem uma notícia sobre os acontecimentos do episódio White Bear, então não é impossível que fragmentos do sexto episódio da terceira temporada sejam colocados nos episódios que vem por aí. 

Qual é a melhor temporada de Black Mirror e por que é a terceira? Se você ainda não assistiu, não perca mais tempo. Os episódios estão disponíveis na Netflix.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.