Gotham: The Gentle Art of Making Enemies


Chegamos ao final de Gotham Mad City e o episódio 14 foi em grande estilo. Já quero começar falando da parte que mais gostei que foi Jerome e Bruce contracenando juntos. Se analisarmos a cena por si só já foi muito boa, agora se colocarmos a importância desses dois no universo dos quadrinhos e na cultura pop, o valor do episódio cresce exponencialmente, por mais que os dois já tivessem se encontrado antes essa foi a primeira vez que pudemos notar traços da personalidade do Coringa e do Batman surgindo.

Gotham sempre foi um seriado um pouco injustiçado, muitas pessoas falavam que a ideia de ficar só falando dos vilões do Batman não funcionaria, que a série sem o homem morcego não funcionaria. Eu tinha medo que na tentativa de transformar o jovem Bruce no homem que um dia se tornaria o maior detetive das histórias em quadrinhos acabasse se tornando algo como Smallville, mas a maneira que estão fazendo essa evolução do personagem com bastante calma dando leves sinais de que a personalidade dele está mudando está sendo incrível. Quem via o David Mazouz na primeira temporada nunca imaginaria que ele poderia chegar a esse ponto, agora já é possível imaginar que daqui uns anos vejamos o Batman em Gotham.

Mas como diz o ditado: “um morcego só não faz inverno”, e por mais que os outros vilões já apresentados na série tenham ficado muito bons como o caso do Pinguim, Charada, Mulher (menina) Gato, nenhum deles tem o mesmo peso que o nosso amado Coringa, posso até estar sendo meio desinformado porque não conheço tanto assim os vilões da DC, mas pelo menos pra mim o Coringa é o mais marcante e ver o que o Cameron está conseguindo fazer com o personagem está me deixando muito feliz, quero ver ainda muitos confrontos entre Bruce e Jerome, mas, produção de Gotham, parem de usar aquela máscara de mussarela na cara dele, poxa. Façam um trabalho de maquiagem melhor aí. Acredito que se Gotham tivesse um orçamento maior ela poderia se transformar naquele universo do Batman que todos queremos ver.

Agora vamos falar sobre a trágica história de amor entre Pinguim e Nygma, que acabou com o Pinguim levando um tiro. Em Gotham o amor mata, por mais que sabemos que o Pinguim volta mais a frente no seriado, seria legal se deixassem pra mostrar o retorno dele na próxima temporada e agora focassem mais no Nygma se transformando no Charada e em como a cidade ficará depois de perder um dos seus principais chefes do crime organizado e prefeito de Gotham.

Seria épico o retorno do Pinguim todo transformado, um cara sem limites, realmente mal querendo vingança. Por mais que eu goste dele do jeito que é, eu gostaria de ver “Pinguim em um dia de fúria” porque todo mundo faz o que quer com ele, é quase que o saco de pancadas de Gotham.

Agora teremos que esperar até dia 24 de abril para o retorno do novo hiato para ver a continuação dessa história, normalmente não gosto de hiatos, mas se for preciso esse para que a série continue nesse nível, eu não me importo em esperar. E que venha o próximo arco de Gotham: Fallen City.







Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.