Lucifer: A Good Day To Die


Esse episódio de Lucifer entrou para a lista dos meus episódios favoritos, com certeza. Cheio de momentos tensos, reveladores e com aquele toque de humor que não pode faltar na série. Primeiro achei que eles encontrariam uma solução mais simples para o problema da Chloe ou até mesmo que ela seria milagrosamente curada, mas todo mundo teve que ir bem mais fundo (põe fundo nisso) para conseguir sucesso nessa missão.

Pela primeira vez vimos toda a equipe trabalhando junto, seres celestiais e humanos. E como eu me divirto com a Linda sendo a única humana a saber e acreditar na real identidade de Lucifer, Maze, Amenadiel e Charlotte. Eu adoro quando a Doutora está em cena, mas gosto mais ainda quando podemos ver ela fora do consultório. E nesse episódio, apesar do seu jeitinho todo atrapalhado ao lado de Maze, ela foi peça fundamental. Pudemos ainda ver o quanto ela também tem um carinho especial pelo Lucifer mesmo depois do susto de ver sua real face.

Amenadiel se portou como um verdadeiro anjo nesse episódio. Ofereceu conforto à Trixie e se dispôs a ficar ao lado da Chloe até a missão do time do andar de cima (dessa vez, do andar de cima mesmo, nada a ver com o céu não) ser concluída. Achei bem tocante ele resistindo aos ataques dos guardas e fazendo isso com o cuidado de não ferir alguém.

Ella e Dan indo atrás do ingrediente que faltava para o antídoto de Chloe também foi divertido. Além de conhecermos de forma sutil um pouco mais do passado fora da lei de Ella, ainda acabamos conhecendo o irmão dela, que continua nessa vida de ilegalidades (que foi bem útil naquele momento). Fico me perguntando se ele não aparecerá mais vezes.

Agora intenso mesmo foi a visita do Lucifer ao inferno. Parecia que estava tudo indo bem, ele já havia conseguido o que tinha ido buscar, até se sentir atraído por uma porta. Foi muito interessante (e angustiante) essa contradição do próprio diabo cair na armadilha do inferno. Enquanto isso, do outro lado, Maze e Linda discutindo sobre como salvariam ele e nenhuma das duas tinha condições de descer. Até que Charlotte resolveu, enfim, prestar ajuda.

Confesso que eu esperava muito mais da chegada da Charlotte na série. Eu estava esperando uma mulher que fosse destruir tudo e complicar a vida dos filhos até dizer chega. Nos primeiros episódios, vimos uma mulher perdida e sem saber como funcionava uma vida na Terra onde ela não poderia usar seus poderes de forma extravagante. Depois vimos uma Charlotte misteriosa e eu estava esperando que ela revelasse algum plano maligno para se vingar dos filhos e até de Deus, quando na verdade (pelo menos até o presente momento) tudo o que ela fez para obter vingança foi tentar colocar os filhos contra o pai. (Quase) não teve mortes, não teve lutas, não teve complicações... Fiquei um pouco decepcionada.

Quando Chloe desperta daquele pesadelo, parece que a experiência de quase morte fez com que ela percebesse que deveria fazer mais o que tem vontade de fazer sem se questionar muito ou se preocupar em ser aquela Chloe 100% íntegra o tempo todo. Acho que pela primeira vez vimos uma aura feliz na personagem, mesmo estando enchendo a caixa de mensagens de Lucifer de recados sem obter respostas. Acho que ela só ficou sem chão mesmo quando ela deu de cara com o apartamento dele vazio. 

Sabe o que é o pior de tudo? Quando ela ainda estava no hospital, ela perguntou se os dois conversariam mais tarde e o Lucifer não concordou e nem discordou, ele apenas saiu calado e, considerando que o diabo não mente, tava na cara que ele já estava dizendo que aquela conversa não aconteceria, pelo menos não tão cedo.

A série retorna só no dia 01 de maio. Estejam preparados porque parece que Deus vai dar as caras por lá.





Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.