Legends of Tomorrow | Fellowship of the Spear


Se tem um personagem que me conquistou completamente nessa segunda temporada de Legends of Tomorrow, esse personagem é Mick Rory. Então eu não posso começar essa crítica por outro assunto que não seja ele.

Já falei algumas vezes no decorrer da temporada o quanto o Mick evoluiu com a saída do Snart e como ele passou a se destacar muito mais na equipe. Logo no começo, ele retorna ao lugar onde perdeu seu parceiro e foi impossível não se emocionar com ele naquele momento. Vimos a Sarah o apoiando e, depois desses 15 episódios, já vimos cada uma das Lendas se surpreenderem e até mesmo serem salvas pelo Mick, então quando de repente todo mundo resolveu mostrar o quanto ainda não confiam nele, dando total razão ao Snart, não teve como eu não me revoltar.

Mick demorou para se dar conta de que a aparição do seu parceiro dessa vez não era uma alucinação (ou "iluminação", como ele mesmo disse). E que culpa ele teve de contar os planos da equipe para o Snart que, até o momento, só havia aparecido na cabeça dele? Inclusive, achei um absurdo o Stein não ter defendido ele considerando que o Dr. sabia dessas visões do Rory. Então super justificável (infelizmente) essa mudança de lado do Onda Térmica no final do episódio.

Dito isso, já posso falar da "participação especial" do Sir J. R. R. Tolkien. Eu tenho amado o quanto eles têm trazido nomes importantes, conhecidos e adorados pelos fãs da cultura pop. As referências muitas vezes são sutis, mas bem eficazes, como a cena em que o Tolkien diz que adora longas histórias e o Nate "é, ele gosta mesmo". Estranhei o Ray não ter ficado empolgado dessa vez, mas vai ver ele só não é um grande fã de Senhor dos Anéis. 

Aquela Lança do Destino se mostrou ser bem chatinha de lidar quando a única coisa que você quer é não deixar que ela caia em mãos erradas. A parada precisa do Sangue de Cristo para ser destruída (cujo frasco foi quebrado no meio da guerra) e ainda dá uma de anel mágico atraindo as pessoas usando suas fraquezas para que ela seja utilizada e a realidade seja reescrita (fiquei me perguntando se não foi daí que o Tolkien tirou a ideia pro anel). Segundo Rip, a Lança tem um poder brutal impossível de ser controlada e parece que veremos isso no próximo episódio, já que a Legião do Mal recuperou a lança e já começou o ritual para criar uma nova realidade.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.