Agents of S.H.I.E.L.D.: No Regrets


O que parecia que ser uma simples missão de extração para Simmons e Skye dentro do Framework está ficando cada vez mais envolvente (e sofrido) tanto para o público quanto para os próprios personagens.

Simmons que começou esse episódio pensando que as pessoas ali não passavam de dados foi mudando de opinião no decorrer da história, muito graças à forte relação que Mack e Hope demonstraram ter naquele mundo. Acredito que pelo posto que Simmons tinha no mundo real, ela deveria saber sobre a história do Mack e que ele havia perdido a filha, então isso explica toda a afeição que ela sentiu logo de cara quando viu os dois juntos. E o diálogo entre ela e o Mace, quando ela contou a verdade para ele e o Ward, foi sensacional. A emoção que Mace colocou nas palavras ao perguntar coisas particulares sobre ele para ela foi uma preparação para a cena final. 

O Mace é um personagem engraçado. Ele nunca é grande coisa, mas sempre que dão uma aprofundada nele, explicando melhor suas atitudes e opiniões, ele fica interessante e com isso acaba se dando mal de alguma maneira (inclusive, parece o Steven Moffat de Doctor Who, que faz a gente amar o personagem para logo em seguida tirar eles da gente). O que no mundo real havia sido apenas uma farsa e\ou até mesmo um sonho sobre o Mace salvando pessoas finalmente se tornou realidade dentro do Framework, pena que isso custou sua vida.

Que o Mace foi o mais querido nesse episódio foi quase unanimidade, mas de longe o grande centro desse arco está sendo o Fitz. Como estou amando odiá-lo! Até agora a sua história era a que menos fazia sentido já que parecia que ele estar ali ao lado da Madame Hidra (AIDA) era simplesmente um capricho dela, pelas ligações que ela tinha com Fitz no mundo real. Agora descobrir que o que mudou a vida dele daquela maneira foi que ele finalmente teve o reconhecimento do pai foi muito mais esclarecedor. Claro que para o Fitz conseguir isso ele teria que se transformar em um monstro e foi o que ele fez.

Depois do aperto no peito de assistir a morte heróica de Mace e do pisão de ter a confirmação de que ao morrer no Framework, a pessoa também morre no mundo real, tivemos uma ponta de esperança ao ver a May se questionando sobre as ordens que ela havia recebido. Parece que ela acabou voltando no mesmo ponto de arrependimento no caso de Bahrain, por mais que agora o motivo tenha sido o oposto do real. O fato de ela receber ordens para colocar um prédio abaixo e só depois descobrir que lá dentro havia crianças inocentes também foi outro ponto para fazê-la desconfiar da integridade que ela acreditava que a Hydra tinha. Vê-la dando uma chance para a Skye, a transformando na Quicker dentro do Framework, foi um alívio para o próximo episódio. E eu duvido que não tenho ninguém morrendo de ansiedade para ver as duas lutando do mesmo lado novamente.



Tecnologia do Blogger.