Crítica: 13 Reasons Why (Sem Spoiler)


Na última sexta-feira (31) a Netflix lançou Os 13 Porquês (13 Reasons Why) e mesmo que a chamada para a série já fosse polêmica, não imaginei que renderia tanto assunto e nem que o mesmo seria tratado de tal forma. Vou começar dizendo que essa crítica é dividida em duas partes: sem spoiler (onde eu falo sobre a série) e com spoiler (onde eu explico o que eu achei da série). Começando sem spoiler, pra não deixar ninguém perdido, vamos ao básico: o enredo de 13 Reasons Why.

A história trata-se dos 13 motivos que levaram a adolescente Hannah Baker a cometer suicídio. Ela gravou 13 fitas contando a história de como tudo começou a dar errado para ela e simplesmente fez com que essas fitas fossem entregues, depois de sua morte, a cada pessoa que contribuiu para que ela tomasse essa decisão. A gente escuta as fitas quando elas vão parar nas mãos de Clay Jensen, um adolescente bom e gentil que era apaixonado por Hannah, mas ainda assim, estava entre os 13 motivos.

Os primeiros episódios da série são perturbadores. Você acabou de cair naquele mundo, você não sabe quem está falando a verdade ou quem está envolvido e conforme você segue episódio por episódio, você começa a se questionar como as pessoas conseguem ser tão babacas e ao mesmo tempo você começa a se procurar na história, afinal de contas, acredito que a grande maioria das pessoas começou a assistir pensando “será que eu já fui ou sou o porquê de alguém?”.

Para evitar spoilers nessa parte, vou tratar os 13 porquês como 13 formas diferentes de destruir uma pessoa. Hannah sofreu diversos tipos de bullying, pela internet e na vida real, foi alvo de fofocas, mentiras e abusos físicos e verbais, e o mais interessante retratado na série é que mostra que mesmo que você não seja um agressor, fazer nada também pode afetar alguém de forma negativa.

Acredito que a série está sendo tão bem falada assim e se tornou assunto em todo lugar pela sua grande proximidade com a realidade. O meu raciocínio é: nós, adolescentes/jovens da era da internet, nos chocamos com o quê? Nós temos acesso às mais bizarras pornografias, toda semana tem imagens de acidentes, pessoas violentadas e brutalmente agredidas rodando pelas redes sociais, fora a deep web que eu, particularmente, nem me dei ao trabalho de investigar. Então, por que na hora de conscientizar a gente em um assunto tão importante como o retratado na série eles se preocupam em amenizar o baque?

13 Reasons Why mostrou tudo, sem panos quentes e sem meias palavras. No making of disponível no final da série na Netflix, os próprios produtores e criadores falam: o objetivo era que quem assistisse se sentisse desconfortável, porque o que eles estavam retratando ali acontece muito na vida real e não é nem um pouco confortável para quem passa por isso. A intenção deles era fazer com que a gente realmente ficasse com aquelas cenas na cabeça e pensasse sobre como tratamos as pessoas e em como podemos ajudá-las. Então, sim, 13 Reasons Why é uma série pesada, em certos episódios há um aviso no início alertando sobre as cenas e isso realmente fica cravado em você enquanto e depois que você assiste, mas talvez esse seja o preço da conscientização.

Para a crítica com spoilers, clique aqui.



Tecnologia do Blogger.