Crítica: Fuuka - 1ª Temporada


O mangá de Fuuka começou a ser publicado em 2014 e a adaptação para anime chegou esse ano, na Temporada de Inverno, pelo estúdio Diomedéa. Essa crítica contém spoilers, tanto do anime, quanto do mangá, então se você ainda não assistiu e só quer saber mais sobre o anime, aconselho que você leia nossas primeiras impressões aqui.

Mesmo o anime levando o nome de Fuuka, a história gira em torno de Yuu Haruna e mostra como ele passa de um garoto antissocial, onde o ápice de sua vida social era sua interação no Twitter (te entendo bem, Yuu), para um baixista dedicado, que se esforça ao máximo por sua banda e tudo isso graças à garota chamada Akitsuki Fuuka, que entrou na vida dele como se fosse um tornado e virou tudo de pernas para o ar.

Não demorou muito para a formação de um triângulo amoroso e todas as grandes escolhas que acompanhamos foram baseadas nisso. Yuu mal tinha confiança em si mesmo e se viu entre duas garotas de personalidades fortes e que já sabiam muito bem o que queriam. Acredito que seu relacionamento com Koyuki foi muito pela nostalgia da amizade de infância e seu sentimento pela Fuuka, algo que veio da mesma forma que a menina entrou em sua vida.

Normalmente musical não é um dos meus gêneros favoritos, muito menos romance, porém Fuuka conseguiu me conquistar. Que anime maravilhoso! Os personagens são carismáticos e fazem com que você se importe e torça por eles, tanto que no final eu me vi torcendo para que Yuu e Fuuka terminassem juntos.

Foram 12 episódios de uma interessante história, mas por mais que tenha me agradado muito, parece que entre os fãs do mangá a opinião ficou dividida sobre a adaptação. Pelo que fiquei sabendo, graças a um seguidor do @DVPATaverna, as histórias são bem diferentes, levando a um desfecho um tanto quanto surpreendente. No mangá, Fuuka acaba morrendo atropelada, mas no anime, ela sai inteira desse acidente. Preciso comentar sobre o sentimento de quem já sabia disso e começou a assistir ao anime já esperando essa cena e acabou sendo surpreendido. Lágrimas já estavam escorrendo quando chegou o momento e de repente Fuuka levanta sem um arranhão, já que o caminhão nem chegou a encostar nela. 

Achei interessante a ideia do mangá, ainda mais que logo depois surge uma outra Fuuka na história, mas acho que a decisão que tomaram no anime foi melhor para uma série. Ainda assim, admito que depois de saber o que acontece, também fiquei curioso para ler o mangá e ver como as coisas se desenrolaram depois de tudo isso.



Tecnologia do Blogger.