Legends of Tomorrow: Aruba (Finale)


Chegamos ao último episódio da segunda temporada de Legends of Tomorrow e dessa vez sem a introdução tradicional. Dessa vez vimos um resumo de toda a temporada, talvez como despedida dos personagens que não retornam na próxima.

Até que fazer o Cavaleiro do Tempo voltar para o seu tamanho original não foi tão difícil (também eles não poderiam enrolar muito, já que era o último episódio), o complicado mesmo foi consertar a cagada que a Legião do Mal fez com a realidade. Claro, fazendo outra cagada com o tempo em um nível que daria orgulho para Barry Allen.

Quando a Amaya morreu no episódio passado, achei que ficaria por isso mesmo já que eu sabia que alguns personagens não retornariam, mas ver o Nate e o Ray morrendo começou a me deixar preocupada. Juntar a galera do futuro com a galera do passado foi muito divertido, claro, mas também foi muito confuso. Eu já não sabia mais quem estava morrendo de verdade e quem estava sobrevivendo.

Na hora da batalha eu entrei em desespero. Como assim mataram o Rory? Meu personagem favorito não! E depois do susto, o outro aparece tirando onda com a cara do Ray (e com a minha, que já estava com lágrima nos olhos e bem indignada). Me senti aliviada quando a batalha deu uma pausa e eu vi que todo mundo que precisava ficar vivo, tinha ficado vivo. Aliás, me senti satisfeita ao ver que o Rory disse com todas as letras que sua fidelidade agora é da equipe e de ver o grupo aceitando ele de volta. 

Desde o começo do episódio fiquei me perguntando quem usaria a lança para reescrever a realidade mais uma vez, e como a Amaya estava viva, cheguei a pensar que seria ela, mas para a nossa surpresa (ou não?) quem usou foi a Sara, e na marra porque não tinha como ela passar para ninguém. Ela relutou tanto em usar com medo de cometer algum erro que até o último minuto eu fiquei tensa. Primeiro pensei mesmo que ela havia ressuscitado a irmã e depois pensei que realmente Eobard tinha pegado a lança de volta antes dela usar, mas que orgulho deu ao ver que ela tinha feito tudo da forma mais correta possível.

A temporada chegou ao fim e nos despedimos de Nate e Amaya, os novatos desse ano, que para mim foram muito mais interessantes no começo do que agora no final. Rip Hunter se despediu na finale, mas já foi confirmado que ele retorna na próxima temporada. Por mais que eu goste do Rip, realmente desde o seu retorno ele ficou meio deslocado na equipe, espero que eles encaixem o personagem melhor na 3ª temporada. Sara Lance realmente se tornou uma ótima capitã e o resto da equipe, principalmente o Jefferson, conhece bem a nave e a responsabilidade que carregam. Foi bem legal ver o Rory levando o Snart de volta a onde ele foi recrutado pelo Rip e a Sara levando Damien para ele refazer seus passos que resultou na morte da Laurel.

Uma coisa que precisa ser comentada sobre essa segunda temporada é a quantidade de ótimas referências que vimos com o passar dos episódios. Nesse último, tivemos uma referência aos Goonies e a MIB. Quem não lembrou dos Homens de Preto quando viu aqueles flashs que apagavam a memória?

Quando pensamos que tudo ficaria bem e finalmente Rory visitaria Aruba, Ray diz uma frase que muito resumiu o caso: eles quebraram o tempo. Los Angeles, ano 2017 e dinossauros correndo na rua. Como eu disse, Barry Allen deve ter ficado orgulhoso e certamente vai passar a usar isso como exemplo de “tem gente que faz pior”.



Tecnologia do Blogger.