Primeiras Impressões: Clockwork Planet


Tic-tac... Tic-tac... As engrenagens giram para manter o mundo vivo. Depois de a Terra ter entrado em decadência e a vida estar se esvaindo, um homem apareceu com a proposta de salvar o mundo usando engrenagens. Agora as cidades funcionavam como grandes relógios, movidas em grandes rodas dentadas de metal.

Naoto é um garoto que sonha em se tornar o melhor relojoeiro, mas apesar de ter uma super audição, o que o faz capaz de conseguir ouvir todas as engrenagens que estão em mau funcionamento, até o começo da história não havia conseguido consertar um relógio sequer.

Isso muda quando a pessoa que vai fazer sua vida seguir em frente cai literalmente do céu. RyuZU estava sem funcionar há mil anos e era um dos primeiros protótipos de androides que estava sendo transportada em um avião para uma Guilda de Meisters que pretendiam consertá-la. Pela primeira vez, Naoto conseguiu usar sua super audição para consertar um grupo de engrenagens, fazendo com que RyuZU voltasse a funcionar.

Enquanto Naoto ficou encantado pela beleza da androide, RuyZU só conseguia tirar sarro das habilidade do garoto, já que ele demorou demais para consertá-la. Ainda assim, ela se ofereceu como serva dele, como um pagamento por ele ter trazido ela de volta à vida. 

O visual do anime é muito chamativo e pelo fato de falar tanto em relógios, a história brinca um pouco com a ideia de tempo, falando que até mesmo as cidades mais desenvolvidas, com os melhores Meisters, têm seu tempo contado. 

O bom humor com que a história é contada é um outro ponto positivo. A direção consegue falar sobre um enredo mais sério e encaixar piadas em momentos perfeitos deixando as cenas bem fluídas, sem parecer forçado.

Ainda não há número de episódios confirmados, mas Clockwork Planet sai todas as sextas-feiras no Japão.



Tecnologia do Blogger.