Criminal Minds: Green Light


Chegamos a reta final da décima segunda temporada com o episódio “Green Light”, que foi o passo inicial para o fim da trama envolvendo Spencer Reid. Tudo bem que isso foi apenas o começo e o grande desenrolar vai acontecer em “Red Light”, que será o final da temporada, mas “Green Light” foi tão bom que poderia ter sido o final. Iria deixar vários ganchos para a décima terceira temporada. Vamos falar um pouco dos acontecimentos desse episódio que fizeram dele um dos melhores da temporada. 

Como não começar falando sobre a principal reviravolta no caso? No episódio passado já havíamos visto o retorno de Lindsey Vaughan (Gia Mantegna. Sim, ela é filha do Joe Mantegna e minha cabeça também explodiu ao saber disso), que até então imaginávamos que estaria agindo como parceira do Mr. Scratch, mas como isso seria algo muito simples para Criminal Minds, porque não trazer outra personagem antiga da série e revelar que ela sim era a verdadeira parceira de Lindsey? Foi nesse momento que Cat Adams (Aubrey Plaza) retornou à série.

Cat foi presa por Reid no episódio “Entropy”, que segundo as notas do IMDB está empatado em primeiro lugar como um dos melhores episódios de Criminal Minds. Sim, foi bom, mas tem muita coisa melhor. Ela realmente foi uma das melhores vilãs da série. E ela revelar que estava se passando por Scratch, que é um dos maiores vilões de Criminal Minds, mostra todo o poder dessa mulher.

Eu sei que sou a pessoa que mais reclama de flashbacks, só que achei muito bonito visualmente mostrarem as cenas do passado do Reid em preto e branco, dando um ar de melancolia à cena e fazendo com que a história ficasse ainda mais triste.

Acredito que muita gente, assim como eu, esperava que o desfecho da prisão do Spencer acabasse num tribunal, com advogados e promotores gritando com emoção e expondo seus lados sobre o caso e no final aquela cena clichê, mas que emociona, onde todos os outros personagens abraçam aquele que estava sendo julgado para comemorar a sua liberdade. Mas havia muita coisa acontecendo e não tivemos tempo para isso, então tudo se resolveu de maneira magistral quando Prentiss colocou o seu na reta e decidiu ir falar com a juíza. Que interpretação da Paget Brewster! Ela colocou muita emoção na maneira como se expressava e, com isso, enfim, tivemos Spencer sendo solto. Vimos que esse tempo na prisão vai mexer muito com nosso garoto de ouro, como na cena em que ele ficou esperando a porta ser aberta igual na estada na prisão.

Outras duas cenas que eu gostaria de destacar é quando o Reid faz aquela arma com uma escova de dentes e você pensa que ele realmente está se preparando para matar o Calvin, só que ele até chega a arrumar uma discussão com o ex agente, mas na verdade o plano do Reid era se esfaquear e ir para a solitária onde ninguém poderia fazer nada com ele. E como bônus ainda complicaria a vida de Calvin. E a segunda cena também foi envolvendo Calvin Shaw, mas dessa vez no momento quando Luke está transferindo ele para outra prisão onde tem membros da Bratva presos, organização a qual Calvin traiu. Em resumo, eu adorei vê-lo se dando mal.

Foi de cortar o coração a cena onde a Garcia conversa com a Prentiss e diz que caso aconteça algo com o Reid ela irá sair da BAU, pois esse foi um ano longo e cheio de perdas e ela não suportaria mais uma. Ela representou muito os fãs nesse momento, só faltou um grito “pelo amor de Deus, para de tirar meus personagens favoritos dessa por..!”. E chegamos ao fim de mais um episódio, o que será que nos aguarda no final?



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.