Criminal Minds: Unforgettable


Uma das grandes vantagens de uma série com bastante personagens é que a cada episódio você pode aprofundar um pouco mais sobre um deles e com isso não acaba ficando aquela narrativa chata sempre mostrando o passado do mesmo personagem, ou seja, faz com que história flua mais. Em Criminal Minds isso é muito bem aproveitado, já que a série conta com 8 protagonistas e ao longo de uma temporada cada um deles tem seu momento de mostrar quem realmente é.

O vigésimo episódio, “Unforgettable”, nos mostrou um pouco do passado de Walker na época em que ele estava como agente infiltrado na Rússia. Não sei quanto a vocês, mas sempre que envolvem essa temática com espiões russos me causa interesse, eles dão medo. Podemos ver o quanto Walker é um cara diversificado, porque além de encontrar criminosos, arrombar portas, tocar trompete e ser conselheiro em relações familiares, ele faz diagnóstico médico mais rápido e eficiente que os próprios médicos, praticamente um exército de um homem só.

Apesar de ser um personagem novo, que ainda não criou um vínculo muito grande com o público, ele conseguiu, através da sua atuação, nos emocionar. Você conseguia acreditar que ele se importava com o Sam Bower. Mesmo sabendo que o final daquela situação seria triste, era impossível não torcer por um final feliz e, mesmo sendo trágico, foi bonito e emocionante o reencontro de Sam com o seu filho. Temos que dar os parabéns também para o Hart Bochner e sua interpretação de Sam Bower.

Agora vamos para o momento Reid que está tendo ultimamente por conta do seu arco. Já estávamos acostumados com sua vida nada agradável na prisão, era sofrível, mas já estávamos nos acostumando. Só que o momento em que Diana apareceu na prisão já fez com que toda a estrutura emocional desabasse. Sempre essas cenas de mãe e filho foram emocionantes. Que papel marcante da Jane Lynch! Apareceu pouquíssimas vezes em doze temporadas, mas foi o suficiente para se tornar inesquecível.

Ver ela descobrindo que o Reid estava preso e que foi resultado pela busca do remédio para ajudá-la partiu o coração, e isso fez ela se sentir culpada, já que ele foi buscar os remédios que ela havia jogado fora. Outro momento de cortar o coração foi quando Spencer disse que logo ele sairia dali e ela responde que quando ele saísse dali ela poderia nem mais lembrar quem ele era. Roteiristas de Criminal Minds, por que vocês fazem isso com a gente? É muita maldade.

Agora, o gancho final foi quando Reid viu a nova enfermeira de sua mãe e lembrou dela de um caso que havia ocorrido há dez anos e certamente que aquilo não poderia significar nada bom para a sua mãe. Gosto de como eles trazem de volta personagens tão antigos de uma maneira tão fluida. A reta final de Criminal Minds está cheia de surpresas. Vamos ver o que nos aguarda nos próximos episódios.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.