Crítica: Sense8 - 2ª Temporada (Com spoiler)


Como citei na crítica sem spoilers, a grande novidade da temporada foi a apresentação de novos sensates. E essa interação deles com o cluster principal da série foi sensacional! Claro que a gente já sabia das vantagens de ser um sensate desde a temporada passada, mas a gente não sabia nem metade do que eles poderiam fazer juntos.

Primeiro que eu não tinha me dado conta de como poderia ser fácil um homo sensorium se conectar com outros homo sensoriums de outros clusters, até a cena em que Sr. Hoy mostra para a Riley como essa conexão pode ser uma espécie de google mental. Ver todos aqueles sensates ao redor do mundo se conectando entre si até encontrar alguém que soubesse do que a Riley estava precisando saber foi insano! Isso sem contar as interações hilárias também da Riley, só que com o Puck, que no final das contas conheceu a Sun e rendeu cenas mais engraçadas ainda. Resumindo: foi uma explosão de novos sensates e novos clusters.

E como falar sobre isso sem mencionar a (víbora da) Lila? Apesar de ter desconfiado dela desde o começo, não imaginei que ela terminaria fazendo uma cagada tão grande como entregar o Wolfgang para a BOP, mas antes disso, a participação dela rendeu cenas maravilhosas! Vê-la provocando e usando o Wolfgang foi esplêndido, mas foi impossível não se empolgar vendo aquela briga de um cluster contra o outro. O jeito como foram filmadas aquelas cenas foi muito lindo e muito excitante de assistir.

Will + Riley

Eu considerava o Will e a Riley os personagens mais fracos do cluster e cheguei a criar a teoria de que uniram os dois para ter uma trama um pouco mais chamativa para eles, mas o que essa temporada me mostrou foi o grande valor e a grande importância deles para o cluster como um todo.

Os dois são os únicos entre os oito que realmente passaram a viver juntos e o Will foi, sem pensar duas vezes, o personagem que mais se destacou no começo dessa temporada, muito por ter liderado essa batalha inicial contra o Sussurros. O que ele fez com a Riley para se esconder em um lugar sem que o vilão descobrisse onde eles estavam foi sensacional. Quando eu pensava que o Sussurros havia conseguido ficar um passo à frente, logo depois descobrimos que Will é quem estava. Isso mostrou uma ousadia e inteligência do nosso cluster favorito que muito nos fez vibrar.

Quando pensamos que tudo finalmente iria começar a melhorar para os dois, veio a notícia de que o pai do Will está morrendo. Foi muito sofrido ver essas cenas do Will se despedindo, ainda mais que ele não pôde estar presente fisicamente, mas ver que o pai conseguiu enxergar seu filho na Riley e ver o Will se lembrando de toda a trajetória dos dois, desde sua infância, foi muito lindo. 

Lito (+ Hernando e Dani)

Como não se divertir com a drama queen que é Lito Rodriguez? Depois de ter sido exposto, seu desafio nessa temporada foi recomeçar sua carreira agora que havia sido estereotipado por ser homossexual. Perder papéis e sua agência foi o fim para ele, o que acabou rendendo cenas hilárias de seu sofrimento, principalmente aquela em que a Sun encontra com ele deitado na sarjeta, mas isso não quer dizer que não tenhamos ficado comovidos com a situação, foi bem triste vê-lo sem esperanças de viver seu sonho.

Em contrapartida, sua relação com Hernando e Dani só fortaleceu. Joaquin não satisfeito por ter perdido Dani e levado uma surra do Lito (valeu, Wolfgang!), resolveu levar os pais da moça para tirá-la do seu novo lar ao lado do casal. Ver o quanto os meninos realmente se importam com ela, a defendendo e dizendo que ela ficaria independente de qualquer dinheiro (considerando que eles estavam sem um tostão) foi lindo!

Nomi (+ Amanita e Bug)

Apesar do Will ter ficado na liderança, Nomi me pareceu a mãezona do cluster. Fiquei com a impressão de que todo mundo passava por ela, fazendo com que parecesse que ela e Amanita não tinham mais sossego e nem a privacidade que um casal precisa. Apesar disso, o relacionamento e o sentimento entre as duas só cresceram. Ver o quanto Amanita apoia a Nomi independente de qualquer coisa foi uma bela lição de amor.

Bug desde o começo se mostrou ser bem porr# louca, fazendo com que as meninas por vezes tivessem dúvidas sobre a confiança que depositaram nele, mas tenho que dizer que Bug não decepcionou. A todo momento ele esteve do lado de Nomi e Amanita e quando ele finalmente ficou sabendo dos sensates tornou tudo ainda mais divertido, ainda mais descobrindo que ele é fã do Lito.

Para mim, a cena da Nomi que mais me emocionou foi quando ela estava no casamento de sua irmã. Por mais que o brinde que ela fez tenha sido extremamente tocante, ver seu pai a defendendo e a emoção dela em ouvi-lo chamá-la de filha foi o ápice. Será que ainda há esperanças de pai e filha se reconciliarem? Porque a mãe dela continua me parecendo a pior pessoa.

Sun (+ Ming-Jung, Mestre e Joong-Ki)

Sun foi a dona da temporada, sem dúvidas. Depois de quase morrer na prisão, ela conseguiu se salvar graças à Ming-Jung e as duas conseguiram fugir da prisão, com a ajuda dos sensates, claro. Ver o vínculo que essas duas criaram foi muito emocionante, é como se a Sun finalmente tivesse encontrado uma figura materna, mas infelizmente elas tiveram que se separar em breve.

O mesmo aconteceu entre ela e seu mestre. Depois de deixar a Ming-Jung, Sun foi ao encontro dele, que acabou se tornando uma figura paterna para ela também. Lá ela pôde descansar um pouco e finalmente reencontrar sua cadelinha, mas não pôde ficar por muito tempo. 

Mas quem diria que a Sun iria reencontrar aquele menino ao qual ela deu uma surra quando era mais jovem? Eu não sei vocês, mas senti a química dos dois imediatamente. Um relacionamento entre eles é algo que eu gostaria de ver bem desenvolvido numa próxima temporada (eu fiquei muito indignada quando ele levou aquele tiro, ainda bem que ele não morreu).

Agora o que dizer das cenas da Sun atrás do irmão dela? Eu vibrei demais! O pânico do Joong-Ki quando viu a irmã me fez dar boas gargalhadas e a Sun foi badass demais com aquela botinha, aquele shortinho e só de sutiã indo atrás dele. A cena dela arrastando aquele bastão de ferro no chão vai ficar gravada na minha mente por um bom tempo. O irmão dela gritando “minha irmã é o Exterminador do Futuro!” também foi hilário e inesquecível.

Minha revolta é que mais uma vez Joong-Ki conseguiu se safar. Por pouco, mas conseguiu. Mas eu também não teria gostado se a Sun tivesse matado ele. Ela é mais do que isso.

Capheus (+ Zakia)

Eu não sei se é implicância minha, mas começou a temporada, terminou a temporada e eu não me acostumei com esse novo Capheus. Acho que se tivesse sido o Toby Onwumere desde o início, eu não iria estranhar tanto, mas como tivemos um Capheus com uma aura de menino inocente e sonhador na primeira temporada, ver agora um Capheus todo galã está sendo muito diferente. Claro que eles ainda tentaram manter a alma do Capheus tímido e meninão, mas não está sendo a mesma coisa e nem está combinando com essa nova aparência dele.

Ainda assim, não posso dizer que Onwumere fez um trabalho ruim. Capheus evoluiu bastante nessa temporada e foi aberto um leque de novas histórias. Agora o nosso Van Damme se tornou herói e até líder político. Ainda acho que isso vai dar ruim, mas vamos torcer pelo melhor. Outra novidade é que também surgiu um interesse amoroso para ele e parece que esse relacionamento realmente vai para frente. Zakia foi muito bem recebida pelo público, ainda mais por representar uma mulher bissexual tão bem resolvida.

Wolfgang + Kala

Finalmente aconteceu o tão esperado momento Kalagang! Mas ok, não foi tão rápido e fácil assim. Se antes a Kala já ficava confusa por não saber se seguia a emoção ou a razão, dessa vez isso ficou ainda mais explícito, só que com um porém: quanto mais ela reconhecia seu sentimento por Wolf, mais seu marido Rajan dava motivos para que ela se separasse dele (coisa que eu fiquei torcendo durante a temporada inteira).

Apesar do Wolfgang ser aquele cara que nunca pede ajuda e não demostra muito seu lado sentimental, vê-lo negando as investidas da Lila foi prova o suficiente do amor que ele sente pela Kala antes mesmo de ele conseguir se declarar pra ela. 

Quando finalmente os dois assumiram seus sentimentos um para o outro e parecia que tudo iria começar a se acertar entre eles, Lila entregou Wolf para Sussurros e a primeira pessoa que ele encontrou através dele foi a Kala, claro. Isso foi sofrido demais. Aquele final foi sofrido demais. Os oito sensates sofrendo e sentindo a dor que o Wolfgang estava sentindo naquela maca da BOP foi de destruir o coração. 

Tudo isso acabou deixando a sensação de que tudo o que eles fizeram no começo para se livrar do Sussurros foi em vão, já que no final o cluster inteiro se tornou refém dele mais uma vez. A diferença é que agora os nossos sensates já estão cientes do que estão enfrentando e também da força que eles podem conseguir se conectando com outros clusters do mundo inteiro. O que resta saber é se outros homo sensoriums vão ser tão corajosos ao nível de enfrentar a BOP pela liberdade.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.