Lucifer: Sympathy for the Goddess


Confesso que comecei esse episódio esperando que God Johnson retornasse dizendo que era apenas uma pegadinha e que ele realmente era Deus, mas não aconteceu... Vida que segue.

Apesar de ser uma poderosa deusa, descobrimos nesse episódio que Charlotte ainda é bem inocente aqui no nosso mundinho e isso rendeu algumas cenas engraçadinhas. Dessa vez tivemos Morningstar mãe e Morningstar filho trabalhando junto com a Chloe em uma investigação que, para variar, era algo que beneficiaria os dois diretamente e só por isso eles entraram nessa.

Achei bacana o foco desse episódio ter sido em como o Lucifer só pensa nele mesmo e só age por ele mesmo. Desde a primeira temporada estamos acostumados com esse jeitão do personagem, mas fazíamos vista grossa porque até que rendia situações engraçadas e ele sempre se redimia de alguma forma, mas agora parece realmente que ele perdeu a mão.

Começando pela Dra. Linda que, ao tentar ajudar Lucifer mais uma vez, acabou colocando sua carreira profissional na reta, agora correndo o risco de perder o direito de exercê-la. Toda essa situação nos permitiu ver um outro lado de Linda que ainda não tínhamos visto. Quantas vezes ela já tentou aconselhar o Lucifer e persuadi-lo a tomar decisões positivas e ele entendeu tudo errado? Pelo menos dessa vez ela pôde dizer com todas as letras o que ela realmente estava pensando e o que realmente Maze estava sentindo em relação a ele, o que nos leva a nossa demônia preferida.

Lesley-Ann Brandt foi sensacional nesse episódio. Depois de quase duas temporadas inteiras vendo uma Maze desapegada, louca e com horror a sentimentos, vê-la extremamente magoada foi mais uma surpresa, e de cortar o coração. Antes daquela cena maravilhosa onde Linda expôs seus sentimentos e Lucifer tenta se desculpar, o diabo e sua fiel assistente duelaram para valer! Apesar de toda situação e do contexto, conseguiram fazer uma cena bem divertida, bem no estilo Lucifer (a série) de ser.

Agora Chloe e Charlotte passaram tanto tempo juntas nesse episódio que a verdade (ou pelo menos parte dela) teve que vir à tona. Depois da vergonha que Charlotte passou no começo do episódio, achei bem esperto a forma como ela contou sobre o parentesco entre ela, Lucifer e Amenadiel. E falando nele, depois de se arrastar a temporada quase inteira se sentindo injustiçado pela atenção que o irmão Lucifer recebia, Amenadiel finalmente teve a prova de que todo seu esforço para ser um bom filho não foi em vão. Achei linda aquela revelação de que Amenadiel é o filho favorito de seu Pai quando ele tinha tanta certeza de que seria Lucifer. 

Agora, a espada flamejante está completa e não há nada que impeça os planos de voltarem para o Céu. A não ser, é claro, pelo fato de que Charlotte está com os dias contados. Depois da facada que ela recebeu no final do episódio, será que ela irá resistir?

P.S.: Melhor ela tampar aquele ferimento bem direitinho. Não quero imaginar o estrago que aquela luz pode fazer caso aquela ferida se abra mais ainda.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.