Primeiras Impressões: Atom: The Beginning


Atom: The Beginning ganhou sua versão em anime nessa Temporada de Inverno, mas o mangá vem sendo escrito desde o final de 2014. A história é nada mais nada menos que um prequel do famoso Astro Boy (que seria originalmente traduzido como “Poderoso Atom”).

Em um baita resumão, na obra original, o Dr. Tenma cria o Astro Boy depois do falecimento de seu filho Tobio, mas depois de perceber que o robô não preencheria o vazio da falta de seu filho, ele entrega Astro Boy para o circo onde ele fica conhecido como Atom. Mais tarde, depois de um acidente no tal circo, o Dr. Ochanomizu fica com o Atom, só então descobrindo que ele tem poderes, habilidades superiores e a capacidade de expressar emoções humanas.

Em The Beginning vemos um jovem Tenma e um jovem Ochanomizu, dois prodígios juntos na faculdade, usando todo o seu tempo em pesquisas sobre robôs. Tenma quer criar um Deus e Ochanomizu quer apenas um amigo, os dois uniram suas ambições e acabaram criando o A106. 

Nos primeiros episódios tudo parece muito novo e os dois cientistas parecem mais preocupados em manter seu lugar no campus do que com o aperfeiçoamento do robô. Acabamos vendo os primeiros sinais de consciência em A106 em um momento em que ele defende a Ran, irmã mais nova de Ochanomizu, que também tem uma grande tendência e talento para a robótica.

O anime começa bem divertido mostrando todo o gás dos jovens cientistas e dos personagens em sua volta. Os dois, apesar de super inteligentes, parecem ser totalmente atrapalhados e sem noção, rendendo cenas engraçadas que acabam cativando quem está assistindo. O A106 começa a ser mostrado como um robô comum e vê-lo nessa transição entre agir sob ordens e agir sob instinto é muito excitante!

Atom: The Beginning vai contar com 12 episódios, sendo exibido todos os sábados.



Tecnologia do Blogger.