Gotham: Destiny Calling & Heavydirtysoul (Finale)


O fim de uma trama construída durante uma temporada toda chegou ao fim e vimos uma série que não teve medo de tentar. Tivemos o final feliz, mas foi à maneira de Gotham, ou seja, com muitas consequências.

Eu gostei da maneira como retrataram o Jim na situação onde precisava do sangue do Jervis. Tudo bem que ele estava infectado pelo vírus, mas foi uma decisão surpreendente e lógica. Sair com o Jervis dali só iria atrapalhar eles, então por que não tirar o sangue dele ali mesmo e deixar o corpo para trás? Era uma situação de vida ou morte não apenas de uma pessoa, mas sim de boa parte da cidade.

O desfecho do romance entre ele e Lee também me agradou. Depois de tudo que eles passaram, conseguiram voltar ao normal e muito disso se deve ao Bullock, só que eles não terminaram a temporada com um “felizes para sempre”. Na verdade, a partida dela serviu como um novo começo para ambos. Tanto que na cena final, Jim sai com Bullock e passa uma sensação de recomeço, que aquele é o marco zero na vida do Jimbo e melhor parceiro que alguém poderia ter: Harvey “O Engraçadão” Bullock.

Novas parcerias foram formadas no fim dessa temporada e espero que continuem na quarta como nos casos de Selina e Thabita e aquela parceria que você deve esperar as coisas mais improváveis: Pinguim e Ivy. Pelo que pareceu, a morte de Fish Mooney despertou Oswald para a realidade. Foi muito bom ver um personagem, que até o momento era feito de idiota por todos, conseguindo enganar o Nygma daquela maneira. Não sei quanto a vocês, mas eu não esperava por aquilo, já estava pensando: “lá vai o Pinguim morrer de novo no porto”.

Quanto à Barbara, eu vi notícias de que ela se tornaria a Arlequina na série, o que por um lado seria legal, já que a atriz está fazendo um bom papel na série, só que fico achando meio estranho ser uma outra personagem se tornando aquela louca que as pessoas aprenderam a gostar. Independente da decisão que eles tomem, eu tenho mais confiança em Gotham do que em outras séries de heróis no quesito apresentar personagens. Duas coisas que me deixaram curioso foi o Buch não morrer com um tiro na cabeça e apresentarem a verdadeira identidade dele. Será que veremos um vilão megapoderoso na próxima temporada?

O que dizer da cena onde o menino Bruce enfiou a espada no peito do Alfred? Eu nunca pensei que ele chegaria a esse ponto. Tudo bem que depois que chegou ninguém ficou muito preocupado, já que o poço de Lázaro estava ali do lado (só falta aquele não ser o poço e eu estar falando merda, mas vida que segue). A conversa entre os dois no hospital foi emocionante e serviu para que o menino Bruce começasse sua carreira de vigilante da cidade mais insana dos quadrinhos. Aquela cena final foi um Bat-orgasmo para os fãs da série e do homem morcego. E, para finalizar, tivemos a apresentação de Ras Al Ghul na série (dessa vez era realmente ele), mas não foi mostrado muita coisa, foi só uma introdução para o personagem aparecer na próxima temporada (e, por algum motivo, me lembrou Doctor Strange).

Honestamente, Gotham e Agents of SHIELD foram as duas séries baseadas em personagens de quadrinhos que tiveram as melhores continuações esse ano. E vocês, o que acharam? Deixem suas opiniões nos comentários. E, se vocês gostam das nossas críticas, sejam nossos padrinhos/madrinhas. Isso vai fazer com que o site cresça e que possamos trazer mais conteúdo e com mais qualidade.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.