Crítica | Os Defensores



A espera finalmente chegou ao fim e podemos ver os quatro heróis da Marvel Netflix juntos em os Defensores e apesar de vários problemas apresentados, o resultado ainda conseguiu ser bom.

Depois de a série do Punho de Ferro ter recebido várias críticas negativas por parte da imprensa especializada, Defensores trouxe consigo um ar de desconfiança sobre a qualidade da série e a dúvida se o formato das séries Marvel Netflix já havia saturado. O sucesso de Demolidor é inegável, porém, as séries que vieram a seguir como Jessica Jones e Luke Cage e o próprio punho de Ferro, parecia ser mais do mesmo.

Um dos acertos de Defensores foi seu número de episódios, 8 no total, o que fez com que a série ficasse mais dinâmica. Isso poderia se tornar padrão nas séries de heróis, já que uma quantidade muito alta de episódios acaba deixando a série maçante. Mas infelizmente sabemos que isso não se tornará realidade.

Outro ponto que me agradou na história foi a interação entre os quatro personagens principais. Os diálogos entre Jessica Jones e Matt Murdock foram excelentes, já que Matt era o contraponto perfeito para o humor ácido de Jessica, enquanto entre Luke Cage e Danny Rand vimos algo mais parecido com uma amizade entre irmãos, o que foi bem interessante.

Mais uma vez as cenas de luta foram os pontos fracos da série. Coreografias mal ensaiadas, movimentos totalmente desnecessários e golpes que pareciam não ter peso algum. Tudo isso deixou claro que o diretor não tinha ideia nenhuma de como dirigir Luke Cage e Jessica Jones nas cenas de batalha. É sofrível ver que em muitos momentos você consegue notar os dois parados. A própria Jessica comenta que ela é a única que não sabe lutar karatê em meio a todos, porém até os golpes simples dela de socos poderiam ter sido mais bem feitos. A série sobrevive sem isso sim, mas quando é uma série de heróis em que terão cenas de luta, uma boa coreografia é algo que se espera, mas em defensores não vimos isso. Sem contar que às vezes tentam fazer cenas épicas e acabam saindo igual ao Luke segurando o poste. Outra coisa ruim é que, em alguns momentos, os efeitos deixam a desejar e você consegue ver claramente que aquele cenário é um fundo verde.

Tivemos bons personagens introduzidos, porém mal utilizados. Tivemos também o passado do tentáculo mais bem explorado. E, como é de costume nas séries da Marvel Netflix, tivemos boas vilãs: Alexandra com uma história interessante; Elektra que, apesar de ser uma personagem chatinha, teve seus momentos; e Madame Gao que novamente rouba a cena com seu jeito.

Então mesmo com alguns problemas, Defensores conseguiu ser uma boa série e vale a pena ser assistida.

 E aí? Curtiu? Então ajude o nosso site! Seja nosso padrinho/madrinha
Afinal, nem todo herói precisa de superpoderes, basta ter um coração generoso...



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.