Preacher: Holes


Com um episódio mais introspectivo focado na mente dos protagonistas, Preacher chega a sua oitava semana neste segundo ano com uma qualidade incomparável.

Neste capítulo, Holes, acompanhamos Jesse (Dominic Cooper) dando continuidade a sua busca pelo Todo-Poderoso, com o que parece ser a última ideia que ele tem para continuar essa jornada. O pastor vai a uma loja de informática para ver se descobre alguma coisa sobre o DVD do falso Deus. Na loja há vários elementos que remetem ao Graal. Descobrimos, enfim, que eles são uma empresa e bem poderosa, diga-se de passagem. Será uma surpresa para Jesse quando ele descobrir.

Tulipa não para quieta durante o episódio. Perturbada ainda com o Santo dos Assassinos, a personagem parece estar sempre eufórica e cansada ao mesmo tempo numa atuação de Ruth Negga cujos elogios já se tornaram de praxe. Por causa da inquietação, Tulipa, em determinado momento do episódio, passa a tapar todos os buracos a bala feitos pelo Santo. E ela encontra dois capangas do Graal que estão a observar os protagonistas. É então que acontece a melhor cena do capítulo, com um diálogo que ora é casual, ora é tenso, e consegue nos fazer oscilar de um estado de espírito ao outro de uma forma muito fluida. Vamos adiante, pois do trio principal ainda temos Cassidy (Joseph Gilgun).

O vampiro foi de longe o personagem melhor aprofundado nesse episódio. Usar o dilema de transformar seu filho ou não poderia se tornar repetitivo, ainda bem que Mark Stegemann soube trabalhar bem o roteiro, construindo ótimas linhas de diálogo e apresentando um flashback com um grande peso emocional. Nunca consegui sentir tanta empatia por um vampiro antes. Força, Cassidy. Vai dar tudo certo.

Por fim, nesse arremate de personagens, temos de volta Eugene, que continua fora de sua cela e está lutando para ser um mau garoto no Inferno. Como eu predisse, o simulador está apresentando defeitos porque ele não faz parte daquele lugar. Enquanto uns colocaram fogo nos próprios filhos e outros cometeram estupros (sem esquecer que Hitler está lá também), a pior coisa que Eugene fez foi beijar uma garota que não gostava dele. Depois de experimentar o Extrapolador (e de fazer uma excelente piada de humor negro envolta em ironia dramática), a única coisa que resta ao Cara-de-Cu é escapar do Inferno.

Com o Graal se fazendo cada vez mais presente e com um ótimo aprofundamento de personagens, além de uma fuga iminente prevista para os próximos episódios, Preacher nos presenteia com um incrível enredo essa semana. Pena que a direção não investiu mais em match cuts para trabalhar também a questão entre Cassidy e Denis de forma visual, mas nada que empobreça a obra.

 E aí? Curtiu? Então ajude o nosso site! Seja nosso padrinho/madrinha
Afinal, nem todo herói precisa de superpoderes, basta ter um coração generoso...



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.