Preacher: Puzzle Piece


Preacher essa semana deu o pontapé para a parte final da temporada, com um episódio estruturado de forma um pouco diferente dos outros, lembrando até o oitavo episódio da primeira temporada , El Valero, e como ele foi concebido.

Puzzle Piece mostra o primeiro ataque do Graal contra Jesse (Dominic Cooper), numa cena que é mostrada a partir do ponto de vista dos soldados do Graal que, usando a visão noturna, fez alusão aos populares jogos de Tiro em Primeira Pessoa. Como se não bastasse, toda essa sequência ainda é temperada com alguns toques de Terror, com uma revelação incrível ao final dela.

Depois de sofrer esse ataque, Jesse fica paranoico com a possibilidade de uma segunda investida e, com o uso de seu poder, contrata policiais para vigiarem o apartamento. É durante essa campanha que vemos a sintonia entre os três protagonistas acabando, cada um elevando seus problemas acima dos dos outros e veremos consequências disso mais para frente.

Quanto ao núcleo vilanesco, vemos Herr Starr (Pip Torrens) dando atenção, finalmente, ao caso de Jesse, numa das melhores cenas de humor negro da série até agora.

Apesar de nada do que há de bom no episódio ser suficiente para considerá-lo como um dos melhores até agora, Puzzle Piece tem uma grande importância dentro da série. A segunda temporada de Preacher vem sendo construída com bastante cautela e com fases bem nítidas no decorrer das semanas. Os primeiros episódios colocaram eles na estrada, sendo perseguidos pelo Santo dos Assassinos, e deram um rumo à procura por Deus: Nova Orleans. Já na cidade do Jazz, os protagonistas se estabeleceram e deram continuidade a sua busca, com a adição do plot de Viktor, a apresentação do Graal e enfim o clímax do embate contra o Santo. Num filme, isso daria um primeiro ato e a metade de um segundo.

Bom, a série teve que continuar depois do enfrentamento com o que era o antagonista da temporada até ali e, se você confiar em mim, pelas contas que eu fiz, ainda faltava a segunda metade do segundo ato e o terceiro. Pois bem, depois de derrotar o vilão, a série deixou o ritmo cair em prol de uma visão mais aprofundada e íntima dos personagens. Isso fez muitas pessoas torcerem o nariz, afinal, toda a pancadaria e sangue e o Jesse mandando um “Go fuck yourself” para o povo com a Voz de Deus deram lugar aos traumas adquiridos pela Tulipa durante essa segunda temporada e ao dilema de Cassidy em ver o filho morrendo. Isso tudo fez parte do que eu considero a segunda metade do segundo ato.

Como desde que comecei a escrever sobre Preacher, nesse segundo ano da série, eu tenho adotado a política de dar spoilers apenas dos capítulos anteriores, eu posso dizer apenas que sim, Preacher chegou ao terceiro ato. Com algumas poucas linhas de diálogo e lá na última cena, é verdade, mas o potencial disso é tão grande que não consigo parar de sorrir enquanto escrevo isto. Grandes coisas estão por vir em Preacher.

 E aí? Curtiu? Então ajude o nosso site! Seja nosso padrinho/madrinha
Afinal, nem todo herói precisa de superpoderes, basta ter um coração generoso...



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.