Primeiras Impressões | Ducktales


Geralmente um reboot não costuma acrescentar nada de novo à trama, justamente porque fazem exatamente o que o original já fez, o que torna sua existência desnecessária.

Ducktales, no final da década de 80, teve apenas 4 temporadas. Seus cem episódios ficaram guardados nos corações dos fãs para sempre, tanto que a série antiga é reprisada até hoje. Tivemos muitos desenhos com premissas parecidas desde 1990, mas nada que pudesse substituir o clássico desenho de Patópolis. Tal qual Os Incríveis, o único filme da Pixar que implorava por uma continuação, a série Ducktales também precisava voltar. E eis que trinta anos depois do lançamento da série original, a Disney a traz de volta com tudo o que há de bom. Todos os elementos memoráveis estão de volta, é pura nostalgia e pelo que parece, um dos melhores reboots já feitos desde que isso se tornou moda.

A nova série de Ducktales tem a mesma princípio da original: os tês sobrinhos do Pato Donald, Huguinho, Zezinho e Luisinho, precisam ficar na casa do Tio Patinhas e os três mais o anfitrião vivem aventuras pelo mundo ao melhor estilo Indiana Jones.

A série aposta pesado na nostalgia. Todos os personagens estão essencialmente iguais, o clima aventuresco permance o mesmo e até a música e abertura é uma clara homenagem à de 1987. Esse primeiro capítulo, entitulado “Woo-Hoo”, é um episódio duplo, que apresenta a formação do grupo de aventureiros e a sua primeira aventura em si.

O enredo não deixa nada a desejar. A primeira parte é tudo o que uma história de origem deve ser, sem nenhum arrodeio, não dá uma pausa para apresentar qualquer conceito (até porque nós já conhecemos todos eles) enquanto a segunda metade é um clássico episódio de Ducktales: em busca de um tesouro, num lugar distante, e um inimigo do Tio Patinhas tentando atrapalhar.

Os dubladores estão incríveis em seus papeis. Bem Shwartz como Luizinho é o que mais se destaca no trabalho entre os três sobrinhos. Tony Anselmo também está ótimo, mas sem nenhuma surpresa, ele é a voz oficial do pato Donald desde a década de 80. Mas quem dá um show mesmo é o nosso décimo Doctor, David Tennat, na voz do Tio Patinhas, que não economiza no sotaque e entrega um genuíno pato escocês.

Quanto à animação, que deu muito o que falar na internet quando foi revelado que seria feita em computação gráfica em 2D e não mais à mão, fiquem despreocupados e assistam sem medo: ela está excelente. Muito mais dinâmica do que a de 1987. Os traços e até mesmo a coloração dos ambientes emulam o estilo dos quadrinhos desenhados pelo eterno Carl Barks.

Mais do mesmo, mas no melhor sentido que você puder atribuir a essa frase, Ducktales está de volta, do jeitinho que guardamos nos nossos corações.

 E aí? Curtiu? Então ajude o nosso site! Seja nosso padrinho/madrinha
Afinal, nem todo herói precisa de superpoderes, basta ter um coração generoso...



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.