Crítica | Dupla Explosiva



Dupla Explosiva é um filme que não vem agradando muito a crítica, mas que está fazendo um certo sucesso entre o público. Vocês notaram como isso vem acontecendo com frequência? Um dos dois lados está precisando rever seus conceitos, mas nesse caso eu estou junto com o povão, pois me diverti muito com o filme que junta Ryan Reynolds e Samuel L. Jackson.

Para quem ainda está com a imagem de Reynolds como Deadpool, é estranho (de maneira positiva) ver ele como Michael Bryce e sendo a parte séria do filme, o que faz um bom contraste com o Darius personagem de Samuel L. Jackson, que está solto no filme.

Falando um pouco sobre a história do filme: está acontecendo o julgamento do ditador da Bielorrússia, Vladislav Dukhovich (Gary Oldman), e a acusação não está conseguindo incriminá-lo, já que a maioria das testemunhas não conseguem chegar vivas até o tribunal. A última esperança de condená-lo é o testemunho de Darius, um assassino profissional, que está preso e precisa ser escoltado até o tribunal. Só que a escolta de Darius sofre uma emboscada e nesse momento Amelia Roussel (Elodie Yung), que era encarregada de protegê-lo, decide pedir ajuda a Michael Bryce (Ryan Reynolds) um segurança de luxo triplo A, que vem vivendo um inferno astral desde que um de seus clientes morreu. E é a partir daí que começa a jornada de Darius e Bryce até o tribunal.

Quando você faz um filme de ação que tem um personagem “motherfucker”, quem melhor que Samuel L. Jackson, que é a encarnação viva dessa palavra, para viver o personagem? Além dos atores já citados, o filme ainda tem Salma Hayek que vive a esposa do Darius, que está extremamente divertida e é sem dúvida o par perfeito para Darius.

O humor do filme é em muitos momentos exagerado, mas ainda assim consegue ser bom porque a proposta do filme é divertir o espectador. Dupla Explosiva é um grande pipocão que vale um pouco do seu tempo. Assistam e depois comentem aqui o que acharam.

 E aí? Curtiu? Então ajude o nosso site! Seja nosso padrinho/madrinha
Afinal, nem todo herói precisa de superpoderes, basta ter um coração generoso...



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.