Crítica | Stranger Things 2ª Temporada


Se tem uma coisa que atrapalha toda série é o monstro da expectativa. Porém, o que esse pobre coitado não contava que era que Eleven, Will, Mike, Lucas e Dustin já estavam acostumados a enfrentar monstros. Os pontos positivos da série conseguiram se sobrepor aos defeitos e, com isso, a segunda temporada de Stranger Things não nos decepcionou.

Um dos pontos fortes da primeira temporada da série foi a incrível atuação dos atores mirins. Já era algo incrível eles atuando daquele jeito sendo tão jovens, só que isso era só o começo, pois na segunda temporada, com o aprofundamento dos personagens, eles puderam mostrar ainda mais qualidade, com destaque especial para Will que deu um show, principalmente nas suas cenas dramáticas.

Para que a história pudesse seguir em frente, novos personagens foram adicionados. E que grata surpresa foi ver que a qualidade não diminuiu. Por falar nisso, parabéns para quem fez a escalação do elenco. Tivemos na Max uma garota de atitude e carismática que se encaixou perfeitamente no grupo; Billy um cara problemático, que com poucas cenas conseguimos entender tão bem; Dr. Owens que veio para ser o novo chefe do laboratório e conseguiu entregar um personagem totalmente diferente do Dr. Martin Brenner (Matthew Modine) e ser tão interessante quanto; e, por fim, Bob Newby (Sean Astin), que além de uma interpretação leve e divertida, trouxe consigo um pouco mais do espírito de Os Goonies, uma das maiores influências para Stranger Things.

Agora vamos à parte que me incomodou: o arco da Kali ou Eight. Foi interessante ver outra garota como a Eleven, mas além de quebrar o ritmo da história, o fato de estarem em uma cidade grande quebrou todo aquele espírito de série que se passa numa cidade do interior. Por mais que tenham tido cenas muito bonitas, como um todo essa parte não agradou.

Cada um dos principais teve seu mini arco dentro da história e isso deu a possibilidade de evoluírem de maneiras diferentes destacando ainda mais suas personalidades. Stranger Things provou em sua segunda temporada que não é simplesmente uma série que vive de referências, mostrou que tem capacidade e qualidade para criar seu próprio estilo e marcar uma época, assim como os filmes que tanto a influenciaram.


 E aí? Curtiu? Então ajude o nosso site! Seja nosso padrinho/madrinha
Afinal, nem todo herói precisa de superpoderes, basta ter um coração generoso...



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.