Primeiras Impressões | Criminal Minds 13º Temporada


Depois de tantas temporadas no ar, fica até estranho fazer um “primeiras impressões” de Criminal Minds. É facilmente uma das minhas séries favoritas, então sempre fica aquela ansiedade pelo seu retorno, ainda mais depois de um episódio de explodir cabeças como foi o final da temporada passada.

Aquele acidente foi uma ótima chance para a produção colocar as coisas no lugar. Ali eles poderiam mudar completamente o núcleo do elenco caso isso fosse necessário para melhorar a qualidade da série ou simplesmente dar novos ares. A decisão foi apenas por retirar Stephen do grupo e colocar Simmons no seu lugar.

Para quem não chegou a assistir o spinoff, Criminal Minds Beyond Borders, Matt Simmons fazia parte de um grupo do FBI que assim como a BAU investigava assassinatos. A diferença principal é que eles atuavam em outros países. Mas com o cancelamento prematuro da série, decidiram promover ele para o grupo principal. Não sei qual foi o critério que eles decidiram usar para escolher o personagem, mas qualquer um da equipe de beyond borders poderia fazer parte do elenco principal. 

Então, quanto à chegada de Simmons na série principal, eu não tenho nada a reclamar. Porém, o que me incomodou mesmo foi a decisão de matar Stephen, um personagem que apesar do pouco tempo na história conseguiu se tornar interessante. Talvez uma saída poderia ter sido o personagem desistir de sua carreira do FBI para cuidar de sua família. Isso deixaria as portas abertas para um futuro retorno. Se bem que a série anda fazendo muito isso ultimamente, como no caso do Morgan e do Hotchner. Então, talvez eles precisassem matar um personagem para criar o clima onde o público se preocupe com a vida daqueles agentes novamente e fique com a sensação de que nem sempre tudo vai acabar bem.

Uma coisa que às vezes me incomoda em Criminal Minds é o fato dos produtores ou roteiristas parecerem não saber como terminar um grande caso. Ficamos mais uma temporada acompanhando a caçada à Scratch e no final foi um pouco desapontador para um vilão tão grande que vinha há tanto tempo infernizando a vida dos agentes da BAU. 

Para começar, poderia ter sido um agente que tivesse uma ligação maior com aquele caso para matar o Scratch no final ou simplesmente prendê-lo. Eu entendo que o Luke foi colocado ali como a última vítima do Scratch. Até aquele momento, Luke estava sem nenhum dano e o fato do Scratch pedir por ajuda, ele decidir ajudar e, no final, não conseguir, parece ter mexido com o emocional do personagem. Se isso for levar adiante vai ser interessante. Mas se ficar esquecido naquele momento vai ser um dos maiores erros que a série poderia ter cometido.

Eu gostei de como a história da Emily foi contada e realmente acreditei que ele poderia ser o fim dela, principalmente depois da morte de Stephen (viu só, como a morte dele foi usada como mecanismo de roteiro?). O que vai ser daqui para frente e como a equipe vai trabalhar com essa nova formação e com o retorno de Reid é o que me deixa mais curioso. A expectativa para essa temporada está enorme depois desse bom primeiro episódio que mesmo com algumas falhas serviu para trazer todo aquele clima de Criminal Minds de volta. E, vocês, o que acharam desse primeiro episódio. Deixem suas opiniões nos comentários.


 E aí? Curtiu? Então ajude o nosso site! Seja nosso padrinho/madrinha
Afinal, nem todo herói precisa de superpoderes, basta ter um coração generoso...



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.