Devilman Crybaby


Devilman Crybaby definitivamente está na minha lista de animes que mais surpreenderam. Eu não conhecia a obra original, então fui assistir totalmente inocente e, logo no primeiro episódio vem todo aquele sexo e violência, com uma animação rápida e traços um tanto quanto bizarros. A primeira sensação que tive foi “má que porra é essa?”. E com o passar dos episódios, eu descobri que era uma obra magnífica que não tem medo de ser polêmica e foge dos clichês. 

Demônios existem e estão entre nós. Após essa descoberta, um jovem professor chamado Ryô Asuka decide recrutar um velho amigo de infância, Akira Fudo, para ajudar a provar para a humanidade que os demônios são reais. Mas durante uma festa repleta dessas criaturas, Akira acaba sendo possuído e se tornando um demônio com coração humano e é a partir daí que a história começa.

A primeira sensação que se tem ao ver Devilman Crybaby é a de que não se está entendendo nada do que está acontecendo. Os traços incomodam e é muito fácil desistir logo de cara, mas para aqueles fortes de coração, a recompensa é uma ótima história.

Apesar de ser um anime com bastante ação, seu principal foco é falar sobre como a humanidade reage em meio a dificuldades e como a insegurança e o medo do desconhecido a fazem agir de maneira racista e xenófoba. O mais interessante é que o mangá foi lançado na década de 70 e, ainda assim, representa muito bem o mundo em que vivemos hoje.

Por abordar temas tão adultos, com cenas de violência e sexo gráficos, Devilman Crybaby era um projeto difícil de se adaptar e precisaria de muita coragem para fazê-lo e foi isso que o diretor Masaaki Yuasa e a Netflix tiveram. 

Uma coisa que eu achei bem interessante foi uma entrevista do diretor que dizia que a parte artística da indústria o acha comercial demais, enquanto a parte comercial o acha artístico demais.

Como vocês já puderam perceber, Devilman Crybaby não é um anime fácil de se assistir. Não é uma história que vai agradar a todos, mas não desista logo de cara, pois vai valer a pena você ir até o final. Então comente aqui se você já assistiu, se gostou ou não. Só evite spoilers para não estragar a experiência de quem ainda não viu.


 E aí? Curtiu? Então ajude o nosso site! Seja nosso padrinho/madrinha
Afinal, nem todo herói precisa de superpoderes, basta ter um coração generoso...



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.