Três Anúncios para um Crime


Três Anúncios para um Crime, ou do inglês, um pouco mais complicado, Three Billboards Outside Ebbing, Missouri (ufa!), conta a história de uma mãe que teve sua filha assassinada e que busca justiça cobrando a força policial da cidade de uma forma pouco convencional: através de três outdoors numa estrada em que ninguém passa. Apesar do local onde estão os anúncios, a cidade inteira reage das mais variadas formas ao fato, e é aí que a história começa.

Antes de mais nada, gostaria de alertar-lhes: Três Anúncios para um Crime não é um filme de investigação comum. Ele nem sequer é um filme de investigação. O diretor e roteirista Martin McDonagh optou por estruturar o filme fugindo de todas as convenções do gênero.

Como roteirista, McDonagh nos traz o elemento da imprevisibilidade como mote principal dos acontecimentos. A cada meia hora de filme acontece alguma coisa na trama que é completamente inesperado. Talvez isso possa dar uma sensação de nonsense e que o roteiro está arranjando soluções inusitadas para resolver os problemas propostos. Mas apesar de abusar desse recurso, o enredo é construído de forma tão natural em cima dessas mudanças inesperadas que a imersão não é prejudicada.

Já como diretor, McDonagh acerta em cheio em optar por focar muito mais nas atuações do que nos maneirismos cinematográficos (apesar de haver um plano sequência incrível no meio do filme). Cada ator interpreta com maestria seus personagens, acompanhando todas as nuances que são impostas pelo roteiro.

A Academia (enfim) acertou na indicação de três atores do elenco: para o prêmio de melhor atriz foi a já laureada Frances McDormand (Fargo); e para o prêmio de melhor ator coadjuvante dois atores: Woody Harrelson (Jogos Vorazes) e Sam Rockwell (O Guia do Mochileiro das Galáxias).

Um filme que passeia por várias discussões sociais, como racismo e o poder que as autoridades têm, Três Anúncios para um crime é um drama muito bem humorado e conta com perfeição o que a raiva e o sentimento de perda podem levar um ser humano a fazer.


 E aí? Curtiu? Então ajude o nosso site! Seja nosso padrinho/madrinha
Afinal, nem todo herói precisa de superpoderes, basta ter um coração generoso...



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.